Redução da oferta de frango elevará preço da carne, diz analista
CI
Agronegócio

Redução da oferta de frango elevará preço da carne, diz analista

Preço alto do milho deve provocar redução na produção
Por:
Os elevados preços do milho deverão provocar uma redução na produção de frangos no Brasil, provocando aumento da carne para o consumidor, disse nessa segunda-feira (20) a consultoria Clarivi, especializada em mercados agrícolas.

"O cenário atual compromete a competitividade da cadeia produtiva de carnes no Brasil", destacaram os analistas da Clarivi em relatório semanal, referindo-se aos maiores custos da soja e do milho, decorrentes de uma quebra de safra nos Estados Unidos.


A redução na oferta de milho e soja no mundo afetará o mercado para a produção de rações, e o custo de produção da indústria de carnes poderá subir mais de 100 por cento no Brasil, "o que poderá ocasionar falências no setor que são anunciadas por pequenos produtores", afirmou a consultoria.

As dificuldades financeiras enfretadas pelo setor no Brasil são sentidas também em outros países do mundo, como a Alemanha, onde produtores defendem uma alta nos preços das carnes.

"A preocupação é de que a alta no preço das carnes leve os consumidores a buscarem alternativas, como os peixes, o que derrubaria as vendas, agravando ainda mais a crise", acrescentou a Clarivi, sem especificar uma estimativa para o aumento no preço da carne.


A alta no milho, o principal para a ração de frangos, está levando a indústria a cortar a produção em 10 por cento, segundo a União Brasileira de Avicultura.

Na semana passada, as duas maiores produtoras de carnes de frango e suína do país, a Brasil Foods e a Marfrig, não falaram em corte de produção, mas disseram que reajustarão os preços de seus produtos para compensar o aumento de custos. A BRF falou em aumento de até 10 por cento. ID:nL2E8JEHE8]

O preço do milho, de acordo com o indicador Esalq/BM&FBovespa (base em Campinas) que serve como referencial para o mercado, acumula alta de quase 40 por cento desde meados de junho, impulsionado pela alta nas bolsas internacionais, após a pior seca em mais de 50 anos reduzir a projeção de colheita no cinturão de grãos dos Estados Unidos.


O sindicato que reúne as indústrias de produtos avícolas no Paraná, principal Estado em produção de frango no país, disse que acompanha de perto a situação e que espera que o governo adote medidas para evitar a redução na produção e o repasse de preços ao consumidor.

"Por conta do alto preço dos insumos, a avicultura paranaense pode sofrer uma desaceleração", afirmou Domingos Martins, presidente do Sindiavipar.

REDUÇÃO DE PRODUÇÃO

Apesar da previsão de redução da produção avícola, recentes imagens de um produtor enterrando ovos e pintinhos em Santa Catarina, com o objetivo de reduzir custos, são indicações de um caso isolado.

Segundo a Ubabef, quando as empresas decidem pela redução de abates, optam entre dois métodos: ou suspendem a postura de ovos embrionados que gerariam pintos; ou abatem os frangos antes do período médio de 42 dias, reduzindo o peso de abate e o consumo de grãos.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink