Região de Campo Mourão (PR) perde R$ 56 milhões

Agronegócio

Região de Campo Mourão (PR) perde R$ 56 milhões

O valor é referente a quebra de 23% nas áreas de milho e 15% na de trigo
Por:
6 acessos

A falta de chuva e as ocorrências de geadas causaram um prejuízo de R$ 56,4 milhões nas lavouras de trigo e milho safrinha na região de Campo Mourão. O valor é referente a quebra de 23% nas áreas de milho e 15% no trigo, respectivamente R$ 49,5 milhões e R$ 7,9 milhões.

A colheita de trigo já iniciou na região. De acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral), órgão da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab), foram plantados 90 mil hectares com a cultura e havia uma previsão inicial de colher 207 mil toneladas de trigo. Porém, houve perdas de 17,6 mil toneladas.

O engenheiro agrônomo do Deral, Edilson Souza e Silva, diz que a falta de chuva afetou diretamente o perfilhamento e a formação de grãos na cultura de trigo. Já as geadas, que aconteceram no final do mês passado, atingiram as plantas em fase de emborrachamento e frutificação. “A falta de chuva causou perdas nas áreas plantadas mais cedo. Já as geadas atingiram as lavouras mais tardias. De uma forma ou de outra a maioria das áreas foram afetadas”, salienta.

Silva observa que novas avaliações da safra de trigo poderão ser efetuadas. Ele comenta que técnicos do Deral continuam visitando as lavouras na região. “Continuamos monitorando as áreas e esse levantamento não é uma conclusão final”.

No Paraná a estimativa para a produção de trigo foi reavaliada em função das geadas ocorridas entre os dias 26 e 28 julho. Nesses três dias, a previsão de safra caiu de 2,05 milhões de toneladas de acordo com estimativas iniciais para 1,71 milhão de toneladas, uma perda de 340 mil toneladas do grão. Com isso, estima-se um prejuízo de R$ 180,2 milhões correspondentes aos que os agricultores vão deixar de ganhar.

Apesar das perdas que estão se configurando, a safra de trigo desse ano no Paraná ainda é 42,3% maior em relação ao ano passado, quando foi colhida 1,2 milhão de tonelada. Mesmo com os prejuízos das geadas, o Paraná se mantém na liderança da produção de trigo no País.

Segundo o diretor do Deral, Francisco Carlos Simioni, as perdas nunca são bem-vindas, mas em se tratando de culturas de inverno o risco sempre é maior e as geadas ocorridas são fenômenos naturais. “Se por um lado os produtores vão deixar de contabilizar a receita que era prevista, existe a possibilidade um faturamento maior por parte dos produtores em função da escassez do produto no mercado nacional e internacional”, afirmou.

Milho safrinha – Até o momento a região de Campo Mourão colheu 65% dos 240 mil hectares plantados com milho safrinha. A previsão inicial era a de produzir 858 mil toneladas, porém deverá configurar uma redução 198 mil toneladas. Conforme Silva, o prejuízo foi causado pelas geadas que ocorreram em maio.

No Paraná a expectativa de produção do milho safrinha deverá se confirmar em 4,98 milhões de toneladas, devendo totalizar uma produção total de 13,84 milhões de toneladas de milho produzidas no Paraná. O aumento de produção da safrinha de milho deve-se à expansão de 37,6% na área plantada, que passou de 1,06 milhão de hectares em 2006 para 1,47 milhão de hectares na safra 2007.

O Deral vai iniciar as pesquisas de campo para levantamento da avaliação e perspectivas de plantio da safra 2007/08. Técnicos de campo dos 20 núcleos regionais da Seab e os gerentes de área da Secretaria de Curitiba estarão trabalhando para a apresentação dos prognósticos no mês que vem. Paraná deverá colher 29,2 mi de toneladas de grãos:

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) reavaliou as estimativas para a produção paranaense de grãos de verão e inverno da safra 2006/07 e o resultado aponta para uma colheita de 29,2 milhões de toneladas de grãos. Esse volume de produção representa um crescimento de 21,9% sobre a safra 2005/06, quando foram produzidas 23,96 milhões de toneladas de grãos no Paraná.

A reavaliação do Deral já incluiu os efeitos das geadas recentes sobre as lavouras, sendo que a mais afetada foi o trigo, principal cultura de inverno do Paraná. As geadas ocorridas nas madrugadas dos dias 26, 27 e 28 de julho provocaram perdas de 17% na produção do grão.

O secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini, destacou que apesar da quebra de safra, em função das geadas, a produção de grãos do Paraná é superior à do ano passado e com expectativas de preços melhores no mercado.

Com os ajustes de avaliação feitos desde o período do plantio, em setembro e outubro do ano passado, e os fenômenos climáticos como geadas, considerados naturais para o período do inverno, a previsão de safra que está se concretizando representa exatamente a média de produção prevista há 11 meses pela equipe de técnicos do Deral.

As estimativas são elaboradas com intervalos mínimos e máximos de produção e a equipe técnica vai fazendo os ajustes ao longo do ano, conforme o rendimento de produtividade e comportamento do clima.

Para o diretor do Deral, Francisco Carlos Simioni, a safra 06/07 de grãos de verão teve um desempenho bastante satisfatório. A produção de soja atingiu 11,8 milhões de toneladas, volume recorde que superou até mesmo o resultado da safra 2002/03 considerada a maior dos últimos anos. Naquele ano, a produção de soja foi de 10,96 milhões de toneladas. A safra de milho também registrou bom desempenho, com uma produção de 8,86 milhões de toneladas na primeira safra.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink