Regiões ampliam a liderança em MG no crédito de carbono
CI
Agronegócio

Regiões ampliam a liderança em MG no crédito de carbono

Valor contratado na região nesta safra teve crescimento de 53,1% em relação à safra anterior
Por:
Valor contratado na região nesta safra teve crescimento de 53,1% em relação à safra anterior 

De julho de 2012 a março de 2013, os produtores rurais do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba obtiveram, apenas no Banco do Brasil, o crédito de R$ 152,2 milhões para a realização de boas práticas incluídas no Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC). De acordo com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), esse valor corresponde a 39% do crédito total de R$ 390,6 milhões negociado com a instituição para ações do programa em todo o Estado nos nove primeiros meses da safra atual.


"O valor contratado pelos produtores do Triângulo/Alto Paranaíba nesta safra (até março) teve um crescimento de 53,1% em relação às aplicações registradas nos doze meses da safra 2011/2012", explica Alceste Fernando Lima, assessor técnico da Superintendência de Política e Economia Agrícola da Seapa.

Nas aplicações realizadas na safra atual pelos produtores de todo o Estado, tiveram destaque também as seguintes regiões: Noroeste (R$ 74 milhões), Norte (R$ 41,8 milhões), Sul/Sudoeste (25,3 milhões), e Central Mineira (R$ 22,3 milhões).

Lima observa que "a conscientização dos produtores para a necessidade de reduzir as emissões de carbono pode ser avaliada por meio dos dados sobre o crescimento das aplicações nas regiões em geral. Em todos os casos houve crescimento do número de contratos bem como dos valores aplicados", enfatiza o assessor e cita como exemplo o Vale do Mucuri, que apresentou um salto de R$ 2,5 milhões para R$ 8,6 milhões.


Na avaliação das aplicações por produto - considerando o valor total repassado para o Estado -, a maior soma, R$ 92,7 milhões, foi para pastagem. Em seguida vêm aplicações de R$ 84,6 milhões em eucalipto/pínus/florestamento e reflorestamento. Correção do solo e cana-de-açúcar tiveram aplicações de R$ 49,9 milhões e R$ 23,6 milhões, respectivamente. Já as aplicações em bovinos (carne), café e bovinos (leite) foram de R$ 17,6 milhões, R$ 14,7 milhões e R$ 9,8 milhões.

Agenda - O Programa ABC está integrado à agenda de compromissos assumidos pelos países que participaram da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 15), para a redução das emissões de gases de efeito estufa gerados pelas atividades agrícolas e pecuárias. A meta é evitar a emissão de 165 milhões de toneladas equivalentes de CO2 nos próximos dez anos, por meio de práticas agrícolas sustentáveis.


Em Minas, uma das metas do programa estabelecida pela Resolução Seapa nº 1.233, de 9 janeiro de 2013, é possibilitar até 2020 a adoção, no Estado, do sistema Integração, Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF) em 260 mil hectares. Está prevista também a recuperação de 2,1 milhões de hectares de pastagens degradadas, que serão incorporadas aos 18,1 milhões de hectares atuais do Estado. 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.