Relação com as comunidades é o maior desafio para o setor florestal

Agronegócio

Relação com as comunidades é o maior desafio para o setor florestal

Esse é o resultado de uma pesquisa realizada em todo o país
Por: -Marianna
1505 acessos
Pesquisa encomendada pelo IPEF foi realizada em todo o país e avalia que, de todos os princípios compostos na proposta de revisão da certificação florestal, este é o que mais necessita ser trabalhado pelas empresas do setor

O principal desafio das empresas florestais é o relacionamento com as comunidades locais. É o que conclui estudo feito pelo PENSA/FIA (Centro de Conhecimento em Agronegócios, da Fundação Instituto de Administração), produzido para o IPEF (Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais).

Realizada com 21 empresas de papel e celulose de todas as regiões do Brasil, a pesquisa constata que, de todos os 10 princípios e critérios do FSC – Forest Stewardship Council (Conselho de Manejo Florestal) –, propostos para revisão em junho de 2011 para a obtenção do selo de certificação, a relação com a população situada nas proximidades destas companhias é o fator que necessita de maior atenção.

Para o Coordenador do estudo, professor Dr. Decio Zylbersztajn, a metodologia da pesquisa permitiu perceber como as empresas se auto-avaliam em relação aos princípios e critérios do FSC. “Nos contatos feitos com empresários, que se auto-avaliaram, e com representantes das sociedades vizinhas, verificou-se que o princípio de número 4, ligado ao relacionamento com a comunidade, foi o que mais apresentou dispersão nas respostas”, comenta.

Apesar da necessidade de se trabalhar de maneira mais efetiva o relacionamento entre empresas e comunidades, a pesquisa identificou diversos pontos positivos na relação com os moradores locais como: apoio à educação; parceria com ONGs; desenvolvimento de fomento agrícola; parceria com prefeituras para fomento do desenvolvimento regional urbano; projetos de geração de renda por meio da produção agrícola; valorização dos trabalhos das comunidades com produtos não madeireiros da floresta; entre outros.

Segundo o acadêmico, o setor florestal deve visualizar o tema socioambiental como estratégico. “Este segmento está à frente de muitos outros no Brasil em termos de organização, dinamismo e capacidade de resposta às novas demandas socioambientais. É desejável que usem o conhecimento desenvolvido a seu favor, por exemplo, para desmistificar a visão negativa da cultura do eucalipto. O tema socioambiental, pela sua relevância para as organizações modernas, deve ser tratado em nível estratégico pelas empresas”, completa.
Ao todo, os 10 princípios e critérios do FSC abordam os seguintes pontos:

Princípio 1: Cumprimento das leis
Princípio 2: Direitos dos trabalhadores e das condições de trabalho
Princípio 3: Direitos dos povos indígenas
Princípio 4: Relações com a comunidade
Princípio 5: Benefícios da floresta
Princípio 6: Os valores ambientais
Princípio 7: Planejamento de Gestão
Princípio 8: Monitoramento e avaliação
Princípio 9: Manutenção de altos valores de conservação
Princípio 10: A implementação das atividades de gestão

As informações são da assessoria de imprensa do PENSA/FIA.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink