Remuneração no campo cresce 6,3% no MT
CI
Agronegócio

Remuneração no campo cresce 6,3% no MT

Média paga no ano passado alcançou R$ 1.381,71
Por:
Média paga aos trabalhadores da agricultura em Mato Grosso no ano passado alcançou R$ 1.381,71 , acima da média nacional, que é de R$ 1.067,05

A remuneração médiapaga aos trabalhadores da agricultura em Mato Grosso aumentou 6,3% em 2011 e alcançou o valor de R$ 1.381,71. O total coloca o Estado acima da média nacional que cresceu 4,6% e alcançou o valor médio de R$ 1.067,05. O número de vagas de empregos também avançou no campo.


Em 2011 o setor aumentou o número de empregados em 7%, alcançando 94,5 mil trabalhadores atuando no campo. Em 2010, eram 88,3 mil pessoas.  O número de empregados na agropecuária brasileira apresentou crescimento de 5,26% em um ano, totalizando 1,483 milhão. Mato Groso tem participação de 6% no estoque de empregos formais registrados em 2011 no setor nacional. Os dados fazem parte da Relação Anual de Informações
Sociais (Rais) e foram divulgados na terça-feira pelo Ministério de Trabalho e Emprego (MTE).

De acordo com o gerente de Aprendizagem Rural do o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Mato Grosso, Marciel Becker, esse crescimento está diretamente relacionado com a qualificação profissional desses  trabalhadores.

Conforme Becker, a variação na renda da agricultura é resultado da pouca oferta de mão de obra qualificada disponíveis no setor. Segundo ele, a remuneração aumenta na medida que esses serviço se torna especializado. “Hoje nós temos exemplo de trabalhadores que chegam a ganhar R$ 3.500 para operar um trator”, explica.


Segundo o gerente de aprendizagem, o produtor rural busca cada vez mais trabalhadores qualificados para o campo, uma vez que a relação de troca é eficiente. “O produtor ter um trabalhador qualificado significa, redução de custos, um vez que ele tem um profissional que sabe operacionalizar muitas vezes equipamentos que custam milhões. Além de uma melhor produção e menos desgastes”, pontua.

No ano passado o Senar chegou a qualificar 45 mil trabalhadores rurais para a mão de obra do campo. Só nesse ano já foram realizados mais de 2.344 treinamentos voltados a área, com a qualificação de mais de 35 mil trabalhadores. “O nosso objetivo é ultrapassar os números de 2011”.


Para a economista Luceni Grassi, o Estado possui um grande potencial de crescimento na agricultura o que o leva ter resultados acima da média nacional.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink