Renda agropecuária deve atingir R$ 26,1 bilhões em 2017, prevê Sistema Famasul

Agronegócio

Renda agropecuária deve atingir R$ 26,1 bilhões em 2017, prevê Sistema Famasul

Coletiva ocorreu nesta sexta-feira (02.12)
2130 acessos

O VBP – Valor Bruto de Produção da agropecuária em Mato Grosso do Sul deve atingir R$ 26,1 bilhões em 2017. Esta é a previsão do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS apresentada na coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (02), na sede da instituição. O resultado projetado é cerca de 1% maior que o patamar de 2016, quando a renda do setor atingiu R$ 25,9 bilhões.

“Os números revelam o desempenho do setor, mostrando que a agropecuária conseguiu bons resultados apesar da atual conjuntura econômica do País. Com a colaboração do produtor rural que adota tecnologias e aplica em sua produção o trabalho da comunidade científica, conseguimos atravessar o ano de 2016”, afirmou o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito.

Entre os segmentos, o que mais se destacou, de acordo com os números do departamento econômico da instituição, foi o mercado da cana-de-açúcar, que deve registrar marca de R$ 4,6 bilhões em 2017, 15,6% a mais que em 2016 (aproximadamente R$ 4 bilhões). Na avaliação da gestora, Adriana Mascarenhas, o incremento está associado à ascensão nas negociações de açúcar. “Há um maior interesse do mercado internacional pelas vendas deste produto, que está sendo vendido a um valor maior”.

Do mesmo modo, o mercado suíno deve subir 15,5% entre 2016 e 2017, atingindo R$ 550 milhões. “Apesar deste segmento registrar uma pequena participação no VBP, existe uma possibilidade de aumento de produção e de preços estáveis”, afirma a economista que falou também da permanência da renda bruta da soja nos mesmos patamares de 2016, em R$ 8,5 bilhões, enquanto que o milho, esperado em R$ 4,3 bilhões, suba 11,7%.

Em sentido inverso, a estimativa é de queda de 8,8% no Valor Bruto de Produção pecuária, considerando que a renda pode ficar em R$ 6,6 bilhões. “Tudo vai depender da nossa economia a partir do segundo semestre. Se persistir o mesmo cenário que 2016 veremos, no mercado, pouco boi e muita carne, ou seja, pouca oferta e um consumo interno menor ainda”, analisa Adriana, que ressalta que o desempenho só poderá se reverter caso as exportações aumentem.

Durante a coletiva, o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, também falou das ações desenvolvidas ao longo deste ano pela instituição. “Começamos nosso calendário com o Showtec, e encerramos com o MS Agro e Agrinho MS, dois grandes eventos que tem o objetivo de compartilhar conteúdo. Foram 80 eventos realizados e apoiados pela Casa Rural com a participação de 35 mil pessoas, entre eles o Circuito Pecuário, que alcançou regiões produtoras estratégicas do estado, totalizando mais de 2 mil pessoas”, acrescenta.

 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink