Representantes do Slow Food visitam trabalhos com arroz-vermelho

Agronegócio

Representantes do Slow Food visitam trabalhos com arroz-vermelho

O objetivo básico do trabalho diz respeito à preservação e valorização do arroz-vermelho cultivado no Vale do Piancó
Por: -Renata
486 acessos
Representantes da Fundação Slow Food para a Biodiversidade, movimento internacional criado na Itália em 1989, fizeram na segunda quinzena de março a segunda visita aos produtores de arroz-vermelho do Vale do Piancó, na Paraíba. Os trabalhos implantados no local são frutos de uma parceria com a Embrapa Meio-Norte e a Associação de Produtores de Arroz-Vermelho de Santana dos Garrotes – PB.


O objetivo básico do trabalho diz respeito à preservação e valorização do arroz-vermelho cultivado no Vale do Piancó, tendo em vista as características particulares desse importante produto agrícola.

Um dos pontos principais do trabalho realizado na região é a organização dos produtores e a conseqüente melhoria na comercialização do produto e na renda familiar dos trabalhadores. Este último teve destaque na visita deste ano, que contou com a participação da especialista em processamento do arroz, a italiana Maria Teresa Melchior, além de Andréa Amato, que visitou a região pela segunda vez. Também integrou a comitiva a coordenadora nacional do Slow Food no Brasil, Roberta Marins de Sá.

De acordo com o pesquisador José Almeida, já foram liberados os primeiros recursos pela Fundação Slow Food, visando a organização da produção, compra de embalagens e construção da usina de beneficiamento do arroz. "Já está sendo, inclusive, providenciada a logomarca para o arroz-vermelho do Vale do Piancó, que já é considerado uma Fortaleza Slow Food pelo movimento", destaca Almeida.


Os trabalhos com arroz-vermelho vêm despertando o interesse de outras instituições em todo o Brasil. Este ano, participaram da visita ao Vale do Piancó, além dos representantes do Slow Food e da Embrapa, técnicos do Emater – PB, Banco do Nordeste, do Ministério do Desenvolvimento Agrário e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que tem interesse em tornar o arroz-vermelho do Vale do Piancó um produto com indicação geográfica de origem.

O fiscal agropecuário do Ministério da Agricultura, Manoel Otávio Silveira da Mota, tomou conhecimento do trabalho e participou do encontro na Paraíba, visando fazer um levantamento histórico-cultural do arroz-vermelho, nível de organização dos produtores, caracterização do produto e a regulamentação de uso, para que num prazo de um ano o arroz-vermelho possa tornar-se um produto com indicação geográfica do Vale do Piancó. As informações são da assessoria de imprensa da Embrapa Meio-Norte.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink