Resultado de exame contra aftosa é adiado há 2 meses em MS

Agronegócio

Resultado de exame contra aftosa é adiado há 2 meses em MS

Inicialmente a previsão era que os resultados dos exames, que vão mostrar se a doença continua circulando no Estado, saíssem na primeira quinzena de agosto
Por:
288 acessos

Mais uma vez a divulgação do resultado da sorologia feita em bovinos de rebanhos de Mato Grosso do Sul foi adiada. Desde o primeiro adiamento já se passaram mais de dois meses. Inicialmente a previsão era que os resultados dos exames, que vão mostrar se a doença continua circulando no Estado, saíssem na primeira quinzena de agosto.

Depois foi sucessivamente adiada de uma semana para outra. A última previsão era que os resultados saíssem ontem. “Deve ficar só para a semana que vem”, avisou esta manhã o superintendente federal de Agricultura, Orlando Baez.

Primeiro o adiamento ocorreu porque o Mapa (Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária) determinou uma nova coleta em Mato Grosso do Sul. Há duas informações: uma de que os resultados poderiam não ter tanta precisão com coletas muito próximas umas das outras e outra informação de que poderia ter ocorrido interferência da vacina.

Apesar da demora, que atrasa também a fundamentação do Estado para que pleiteie a retomada do status de área livre de febre aftosa, Baez acredita que não seja motivo de preocupação. “Pelo contrário, isso ocorre para o resultado sair com segurança”, disse. Segundo ele, a análise é trabalhosa, já que foram coletadas 50 mil amostras.

Enquanto isso, a Irlanda desenvolve uma campanha contra a carne brasileira, após visitar, segundo o governo de forma clandestina, propriedades rurais de Mato Grosso do Sul e fazer denúncias, como uso de hormônios, vacinação ineficiente e inexistência da rastreabilidade. O governo brasileiro e de Mato Grosso do Sul já se posicionou inclusive na embaixada brasileira em Bruxelas, na sede da OIE, alegando que as denúncias são inverídicas e que as filmagens feitas por jornalistas irlandeses manipulam a realidade.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink