Rigor dos EUA na carne é visto como retaliação

Agronegócio

Rigor dos EUA na carne é visto como retaliação

Uma missão veterinária dos Estados Unidos descredenciou três frigoríficos exportadores autorizados a vender carne
Por:
1 acessos
Uma missão veterinária dos Estados Unidos descredenciou três frigoríficos exportadores autorizados a vender carne bovina cozida para seu mercado. Outras cinco indústrias, notificadas pela missão, também podem ser impedidas de embarcar o produto nos próximos dias. Perderam o direito de exportar carne cozida aos EUA unidades do Friboi, de Andradina (SP); do Pampeano, de Ulha Negra (RS); e do Kerry, de Três Corações (MG). Até agora, a missão inspecionou 14 dos 18 frigoríficos selecionados. Há, no total, 28 indústrias habilitadas.


A missão dos EUA apontou como "irregulares" as contratações de inspetores indicados por prefeituras e pagos pelos próprios frigoríficos. Os EUA exigem inspetores federais. Além disso, as indústrias não cumpririam requisitos do acordo de equivalência sanitária, como planos de auto-controle e procedimentos específicos. "Há mesmo uma defasagem entre qualidade da mão-de-obra e o crescimento das vendas", diz o especialista Pedro de Felício, professor da Unicamp.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink