Rigotto afirma que pesquisa de transgênicos deve ser regulamentada e que RS não é o único produtor


Agronegócio

Rigotto afirma que pesquisa de transgênicos deve ser regulamentada e que RS não é o único produtor

Por:
3 acessos

"Não podemos esconder a cabeça como avestruzes e desconhecer o que está

ocorrendo no mundo em termos de biotecnologia. Lamentavelmente hoje, no Brasil, sequer a pesquisa pode ser realizada porque não existe um marco legal para balizar a questão dos transgênicos". A afirmação é do governador Germano Rigotto hoje (17) pela manhã, durante a abertura do 14º Fórum Nacional da Soja, atividade que antecedeu a abertura da 4ª Expodireto Cotrijal, no município de Não-Me-Toque, na região do Alto Jacuí. Para Rigotto, "é urgente uma definição legal, afinal, o Rio Grande do Sul está colhendo a sua maior safra, com 8,5 milhões de toneladas de soja, 2 milhões de toneladas a mais que a safra passada". Rigotto defendeu a imediata liberação da comercialização do produto, inclusive para a exportação.

O governador também criticou aqueles que tentam denegrir a imagem do Estado com relação aos produtos geneticamente modificados. "Tentaram carimbar o Rio Grande do Sul como o único a produzir soja transgênica no país, mas trata-se de uma prática que ocorre em vários estados. Até nos assentamentos em várias partes do país isso vem ocorrendo", criticou, acrescentando que "a polêmica não é um problema dos grandes produtores, mas todos os produtores, independentemente do porte".

Durante seu pronunciamento, o governador disse ao ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, que a postura do governo federal será decisiva na busca de uma solução para a comercialização. "Precisamos de sua firmeza, de sua coragem e de sua compreensão, ministro, para assinalar um marco legal nesse tema e acabar com a angústia dos produtores gaúchos", disse Rigotto, acrescentando que "estamos num país presidencialista, que existe decisão não apenas do Congresso Nacional, mas também do presidente da República".

A Expodireto Cotrijal está montada numa área de 78 hectares, com 234 estandes e reúne, até sexta-feira, expositores de 23 países. Durante a cerimônia de abertura, Germano Rigotto destacou que a pujança da mostra reitera, no Governo do Estado, "um profundo sentimento de fé no futuro do Rio Grande e de orgulho pela capacidade de realização de nossa gente". No discurso, Rigotto reiterou a necessidade de regulamentar a produção de transgênicos: "Não aceitamos que se pretenda fazer agricultura e política agrícola, em pleno século XXI, com os métodos do século XIX".

Participaram também da abertura da 4ª Expodireto Cotrijal os secretários da Agricultura e Abastecimento, Odacir Klein, da Reforma Agrária e Cooperativismo, Vulmar Leite, e de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Kalil Sehbe Neto, além do presidente da Cotrijal e Expodireto, Ney Mânica, o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Vilson Covatti, o presidente da Organização das Cooperativas do Brasil, Marcos Lopes de Freitas, da Organização das Cooperativas do RS (Ocergs), Vicente Bogo, do presidente da Farsul, Carlos Sperotto.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink