Rigotto relata à Lula desigualdade entre estados na exportação de carne

Agronegócio

Rigotto relata à Lula desigualdade entre estados na exportação de carne

Por:
1 acessos

Ao receber o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira (26-01) à noite, no Aeroporto Internacional Salgado Filho, o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, relatou a situação da exportação da carne, com tratamento diferenciado entre Santa Catarina e os demais estados. "A questão da carne é preocupante e precisa de uma rápida definição, que leve à igualdade de tratamento em todo o país", afirmou Rigotto ao salientar que o tema poderá ser levada ao Judiciário.

Ele disse ao presidente que não pode apenas um estado ter o status de zona livre de febre aftosa sem vacinação e por isso, ser "premiado", não apenas com o mercado da Rússia, que declarou o embargo, mas com a perspectiva da abertura de novos mercados promissores. "Relatei ao presidente as últimas conversas tanto com o setor produtivo de carne do Rio Grande do Sul, como com representantes de alguns outros estados, além do próprio governador Luiz Henrique da Silveira (SC), que se disse solidário nesta busca pelo equilíbrio na questão sanidade animal no país", declarou Rigotto.

O presidente disse ao governador, que ressaltou ao presidente russo, Vladimir Putin, durante sua visita ao Brasil, que o embargo poderia ser revertido inclusive demonstrando a grande distância que separa os estados produtores do foco detectado na Região Norte do país. "Tenho certeza de que o presidente, junto com os ministros, poderão acelerar esse processo, que penaliza fortemente toda a cadeia produtiva da carne, não só do RS, como de outros estados do país", disse Rigotto.

Outro assunto abordado pelo governador com o presidente foi o aumento da tributação do IPI sobre vinho e espumantes. De acordo com Rigotto, o presidente afirmou que a discussão da questão está bastante adiantada e deve ser definida em breve. O governador ressaltou o impacto negativo que esse reajuste nas alíquotas tem provocado no setor desde o final de 2003.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink