Agronegócio

Rio Grande Sul registra retração nos grãos

Conab prevê que menor produtividade do trigo puxará baixa de 7,1% na safra
Por: -Redação
2 acessos

A produção de grãos do Rio Grande do Sul na safra 2006/2007 deverá ter uma retração de 7,1% em comparação com a de 2005/2006. Segundo o quarto levantamento da Superintendência Regional da Companhia de Abastecimento (Conab/RS), a colheita pode reduzir de 20,9 milhões de toneladas para 19,4 milhões de t. A queda é puxada, principalmente, pela produtividade do trigo, que diminuiu 43,2%, seguida pela do feijão, com queda de 10,8% e do arroz, com menos 3,9%. A estimativa é de que a área total com grãos no Estado sofra redução de 3,7%, passando de 7,5 milhões de hectares para 7,22 milhões de ha.

A produção de arroz provavelmente cairá de 6,7 milhões de t para 5,8 milhões de t, registrando diminuição de 12,6%. Em contrapartida, a colheita de milho deve ficar em 4,6 milhões de t, ante as 4,5 milhões de t do ano anterior. O rendimento do grão deverá ser de 3.320 quilos/ha, subindo 4,8% sobre os 3.167 quilos/ha da safra anterior. A produção de soja registrará 7,77 milhões de t, um incremento de 3,4% sobre as 7,51 milhões de t da safra 2005/2006.

O bom desempenho também é apontado na projeção nacional da Conab. Juntas, as culturas do milho e da soja contribuem com 82% da produção brasileira de grãos. A oleaginosa deverá alcançar 54,9 milhões de t (45,2 da produção), índice 2,7% maior do que a safra anterior, que foi de 53,4 milhões de t, consagrando como recorde histórico. Já a produção do milho é estimada em 44,7 milhões de t, volume 7,2% superior aos 41,7 milhões de t de 2006.

A produção brasileira de grãos deverá ficar em 121,5 milhões de t, resultado 1,3% maior sobre a safra anterior, de 119,9 milhões de t. Em relação ao levantamento realizado em dezembro, o aumento é de 1,1%. Se o clima continuar favorável, acredito que o volume da safra poderá crescer mais um pouco, pois, até agora, temos sido conservadores nas nossas avaliações, salientou o presidente da Conab, Jacinto Ferreira.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink