Rio pode ter 9 mortes por gripe suína

Agronegócio

Rio pode ter 9 mortes por gripe suína

Rio pode ter 9 mortes por gripe suína
Por:
296 acessos
RIO - "Eu não acredito nisso", lamenta um pai, em lágrimas, no exato instante em que soube da morte do seu filho. Por volta das 18h desta terça-feira, registrou-se o terceiro caso de óbito por suspeita de gripe suína, em menos de um mês, no Hospital Infantil Getúlio Vargas, o Getulinho, em Niterói. É a quarta morte suspeita no Rio, além das cinco já confirmadas.

Cinco crianças com sintomas estão internadas no Getulinho. Na porta, dezenas de mães estavam apreensivas aguardando atendimento, que demorava em média quatro horas. O que se explica, segundo a chefe de epidemiologia do hospital, Elisabete Ferreira, pelo aumento da demanda de pacientes em função da gripe suína, que já preocupa médicos. De 1 a 14 de julho, foram registrados 753 casos de pacientes com suspeita da nova gripe. Já, do dia 15 até domingo (26), o número quase dobrou, chegando a 1.298 suspeitas.

- Está ficando complicado atender todos os casos. A demanda está muito grande mesmo. Daqui a pouco, não vamos dar conta. Também estamos preocupados com a demora do diagnóstico. É até compreensível o atraso, mas ainda estamos sem prazos - disse a médica, que não parou um minuto para descansar.

Nesta terça, apenas dois pediatras atendiam no hospital. Profissionais da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covig) também estiveram por lá para coletar material de quatro crianças com suspeita da gripe suína.

Mães desoladas
Nos corredores do hospital, crianças choravam e profissionais corriam para dar conta do atendimento. As mães que acompanhavam seus filhos internados estavam todas reunidas na mesma enfermaria em isolamento. Apenas o olhar de angústia ficava estampado sobre as máscaras.

Em 3 dias, bebê tem gripe agravada e morre
Um bebê de 2 anos e 6 meses morreu no sábado no Hospital de Piabetá, em Magé, com suspeita estar contaminada pelo vírus da gripe suína. Segundo os pais da menina, moradores de Guapimirim que preferiram não se identificar, o atestado de óbito aponta pneumonia como causa da morte e ressalva que se suspeitava de contaminação pelo vírus H1N1.

A mãe conta que a criança estava com sintomas de gripe desde o início da semana passada e já havia sido levada ao médico. O profissional disse que era um resfriado e receitou medicamentos. Mas, na quarta, a menina teve febre, e no dia seguinte, convulsão. Preocupados, os pais correram com a bebê para o Hospital de Magé. Na sexta, ela apresentava dificuldades para respirar e foi transferida para Piabetá, onde morreu.

- Minha filha foi enterrada em um caixão lacrado para não haver contaminação. Em dois dias, ela piorou muito. Nada vai trazer ela de volta - desabafou.

Pais de alunos da creche Estrelinha do Vale, em Guapimirim, onde a menina estava matriculada, estão preocupados. Na sexta, começaram as férias. A comerciante Adriana Nascimento Florêncio, mãe de Marcos Matheus, de 2 anos, está apavorada:

- Meu filho está resfriado há três dias. Estou com medo de ele ter contraído a doença também.

O secretário de Educação de Guapimirim, Nelson Costa Mello, informou que a creche reabre no dia 3, quando um médico dará uma palestra para orientar os pais.

Volta às aulas no dia 3
Apesar do aumento do número de casos da gripe suína, as escolas públicas e particulares do Rio decidiram manter o calendário após as férias. A maioria volta a receber alunos na segunda-feira, mas está adotando medidas preventivas, como distribuir material informativo sobre a doença e orientar pais para não deixarem crianças gripadas irem às aulas.

O diretor do Sindicato das Escolas Particulares do Rio de Janeiro (Sinepe-RJ), Victor Nóbrega, disse que as filiadas cariocas têm liberdade para definir o calendário letivo, desde que cumpram a carga horária mínima prevista em lei.

Mesmo com a manutenção do calendário escolar, os pais estão apreensivos. O publicitário Cesar Barros disse que não deixará os filhos, de 8 e 14 anos, frequentarem a escola enquanto não houver uma redução dos casos de gripe.

Em escolas onde as aulas foram retomadas na segunda-feira, precauções extras já foram adotadas. Waldir Rasche, diretor da Escola Alemã Corcovado - que, nas férias, identificou três alunos de turmas diferentes com gripe suína, após terem viajado - garantiu que não há motivo de preocupação, já que os alunos já estão curados.

No município, a volta as aulas nas 1.035 escolas também foi confirmada para a semana que vem. Na rede estadual, o calendário também foi mantido, mas o Sindicato dos Professores pediu uma reunião com o Estado para que sejam detalhadas as medidas de prevenção.

Na semana passada, a secretária municipal de Educação, Claudia Costin, enviou aos diretores de escolas, pais e alunos uma carta, onde pedia, entre outras coisas, que as escolas mantivessem salas limpas e arejadas, e que os pais redobrassem a atenção com os cuidados básicos de higiene.

Recrutada por telefone

A médium Adelaide, que diz incorporar o espírito do Cacique Cobra Coral, foi convocada pelo prefeito Eduardo Paes para provocar um "veranico", em pleno inverno, e ajudar a conter a gripe H1N1. A conversa de Paes com a médium por telefone ocorreu há cerca de dez dias e foi confirmada pela assessoria do prefeito.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink