RJ: Vacinação contra Febre Aftosa termina dia 30

Agronegócio

RJ: Vacinação contra Febre Aftosa termina dia 30

O Estado do Rio de Janeiro está há 19 anos sem o registro da doença em seu rebanho
Por:
1159 acessos

O Estado do Rio de Janeiro está há 19 anos sem o registro da doença em seu rebanho

A secretaria estadual de Agricultura alerta os pecuaristas fluminenses sobre o termino no próximo dia 30 (quarta-feira) de Novembro, do prazo para vacinação dos bovinos e bubalinos (búfalos), com até 24 meses de idade, contra a Febre Aftosa. O Estado do Rio de Janeiro está há 19 anos sem o registro da doença em seu rebanho com status de área livre da doença.

Apesar desta segunda etapa anual de imunização ser parcial, após a vacinação é obrigatória a apresentação da Declaração de Vacinação em um dos Núcleos de Defesa Agropecuária ou Postos Municipais no local de sua propriedade. O lançamento do documento também poderá ser feito, pelo próprio produtor, através da internet, diretamente no Sistema de Integração Agropecuária - Siapec, na página da secretaria estadual de Agricultura www.agricultura.rj.gov.br, implementado pelo serviço de Defesa Agropecuária.

Segundo o superintende de Defesa Agropecuária da secretaria estadual de Agricultura, Paulo Henrique Moraes, no documento deverão constar todos os bovídeos da propriedade - tanto os imunizados na etapa Novembro quanto os dispensados. Ele orienta ainda os produtores a adquirir a vacina nas lojas agropecuárias autorizadas e imunizar seus animais durante o prazo de duração da campanha.

- Os criadores devem estar atentos aos prazos para a imunização e declaração da vacinação junto à defesa agropecuária, pois só assim evitarão a multa e a interdição de suas propriedades - informou.

O secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, frisa a importância do envolvimento de toda a cadeia produtiva nas etapas de vacinação.

- Esta é mais uma etapa para alertar a todos, envolvidos ou não com a atividade pecuária, sobre a importância de se defender contra a Febre Aftosa. A vacinação feita de forma adequada é o que garante a sanidade do rebanho - finalizou o secretário. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink