RMC discute importância do Georreferenciamento

Agronegócio

RMC discute importância do Georreferenciamento

Encontro acontece no dia 27 de outubro
Por:
230 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
Sistema ajuda na gestão em áreas como o controle de chuvas, estoques e consultas médicas

A Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) e a Rede Cidade Digital (RCD) promovem no dia 27 de outubro, um Encontro Temático sobre Georreferenciamento, voltado para aplicações em arrecadação, fiscalização e planejamento urbano. O evento integra as atividades da Rede Regional de Cidades Digitais da RMC, criada neste ano e aprovada por unanimidade pelos prefeitos, com base nas principais dificuldades apontadas por gestores públicos para implantação de projetos na área, durante o I Congresso Paranaense de Cidades Digitais, em 2013.

A iniciativa conta com o apoio do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-PR). De acordo o presidente da entidade, Jeferson Dantas Navolar, os municípios que não utilizam o sistema de georreferenciamento estão em desvantagem em relação às localidades que já utilizam as informações para gestão em diversas áreas como, por exemplo, em controle de chuvas, estoques, consultas médicas, jornada de ônibus, entre outras. “A quantidade de insumos que há para gerir na administração urbana é imensa. O sistema compartilhado permite uma fiscalização com rapidez e leituras quase que em tempo real”, explica Navolar.

O presidente do CAU-PR ressalta ainda a importância do investimento em profissionais técnicos do setor nas administrações municipais. “Os arquitetos é que têm essa atribuição plena em planejamento urbano e gestão de espaços”, destacou ele.

Outros três encontros já foram realizados pela Rede de Cidades Digitais da RMC. O primeiro aconteceu em abril, onde prefeitos e secretários definiram o plano de trabalho da iniciativa. Já no mês de julho, o tema foi infraestrutura e tratou de itens como Compras e locação de equipamentos de informática, modelos de licitações para o procedimento, Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI), além das discussões em torno da integração das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) na gestão pública.

A rodada regional de Curitiba do II Congresso Paranaense de Cidades Digitais, em agosto, também abordou temáticas voltadas para os municípios da Região Metropolitana. “O movimento iniciado aqui inspirou a criação da Rede Regional do Oeste, em pareceria com a Associação de Municípios do Oeste (AMOP) e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), e também da Rede Regional do Norte do Estado, esta em conjunto com entidades e associações de municípios daquela região”, disse o diretor da RCD, José Marinho.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink