RMC trabalha a vocação para os orgânicos

Agronegócio

RMC trabalha a vocação para os orgânicos

Por:
345 acessos

Na região, 2 mil produtores trabalham com agricultura orgânica; mercado consumidor de Curitiba e cidades vizinhas favorecem a atividade

Curitiba - O Paraná é destaque nacional na chamada agricultura orgânica. Segundo números do Governo do Estado, em terras paranaenses 5,3 mil agricultores trabalham com esse tipo de produção, com 107 mil toneladas contabilizadas na última safra e taxas expressivas de crescimento de até 20% ao ano.

Curitiba e municípios vizinhos desenvolveram uma vocação para o setor. De acordo com José Antônio da Silva Marfil, diretor-adjunto da Associação para o Desenvolvimento da Agroecologia do Paraná (Aopa), aproximadamente 2 mil pessoas vinculadas ao órgão trabalham com a produção de orgânicos na capital paranaense e cercanias. Segundo a Aopa, a área plantada desse tipo de produção na região supera os 2,5 mil hectares. O perfil é baseado na agricultura familiar, com propriedades de no máximo 10 hectares.

Além do famoso cinturão verde (hortaliças), a Aopa destaca a diversificação crescente. ""Existem ações de industrialização, com a produção, por exemplo, de doces e geleias feitos a partir de alimentos orgânicos. A produção de frutas também aumentou muito nos últimos anos, equilibrando a proporção em relação às hortaliças, tradicionalmente mais fortes. E em geral, há uma grande variedade de culturas"", afirma o diretor.

""Na produção convencional, há uma certa decadência, com a alta dos insumos e com os problemas que andam aparecendo, que exigem o uso de muito veneno. O mercado não baixou os preços. Então existe uma valorização da produção agroecológica"", diz Marfil.

O diretor da Aopa cita que há um ambiente propício para a ""conversão"" aos orgânicos, que tem início nas questões de saúde e adequação às leis ambientais e desemboca em outros fatores. ""No aspecto econômico, é atraente produzir com menos adubo e sem veneno. Além disso, em algumas produções, como no cinturão verde, há um maior investimento por parte de organizações e dos municípios"", relata.

Marfil explica que a produção de orgânicos é altamente desenvolvida na região de Curitiba porque possui um grande mercado consumidor próximo (a capital paranaense e os principais municípios vizinhos). A produção é comercializada principalmente em feiras, mercados e restaurantes. ""Pouca coisa vai para fora"", garante o diretor. ""Há um interesse grande por produtos orgânicos. Uma pesquisa apontou que 90% do público de feiras de orgânicos em Curitiba busca esses alimentos por questões de saúde.""

Lentamente, essa produção também vem contornando um preconceito antigo: o que prega que os orgânicos são mais caros que os alimentos provenientes da agricultura dita convencional. ""Nas feiras orgânicas, o preço é igual ou até mais barato que o do produto convencional. Os preços se mantêm durante todo o ano e são competitivos, com exceção de alguns produtos, como o tomate"", argumenta Marfil.

Fábio Galão


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink