Agronegócio

RS: Campanha é a primeira a contar com comitê de combate ao abigeato

Por: -Daniel Cóssio
691 acessos
Após apreender cerca de duas toneladas de carne, fiscalizar 22 estabelecimentos que vendem produtos de origem animal e autuar em flagrante nove pessoas na região da Campanha, quinta-feira (26), na primeira operação integrada, o Comitê de Gestão da Transversalidade das Ações de Combate aos Crimes de Abigeato e Abate Irregular de Animais aprovou nesta sexta-feira (27), em Bagé, a criação do primeiro Comitê Regional. Em evento na Associação e Sindicato Rural, integrantes das cinco secretarias estaduais que compõem o grupo (Agricultura, Segurança Pública, Saúde, Meio Ambiente e Fazenda) ratificaram a importância do trabalho em conjunto como garantia do sucesso das operações no âmbito da repressão e da prevenção.


Segundo o delegado e secretário executivo do Programa de Segurança Pública com Cidadania do RS, Carlos Santana, a eficácia depende também da construção de dois grupos. Um deles será responsável por ministrar curso regional e padrão direcionado à capacitação de fiscais. O outro, porém, fará o mapeamento cartográfico e o georreferenciamento de todas as estradas vicinais do Estado.

A Secretaria de Agricultura, por exemplo, tem 80% das propriedades rurais georreferenciadas, mas não as vias de acesso a elas. "Para ser ter uma ideia, existe um caminho, por estradas alternativas, por onde é possível ir do Chuí até São Borja, na Fronteira Oeste, sem cruzar por nenhuma BR ou ERS, facilitando os abates clandestinos e as fugas, inclusive, para o Uruguai", informou Santana.


O assessor técnico da Seapa e membro do comitê estadual, Edegar Franco, avalia que depois da assinatura do decreto 50.313, em maio deste ano, pelo governador Tarso Genro, criando o comitê, as reuniões que aconteceram até agora permitiram a realização, de forma estratégica, da operação ocorrida na última quinta-feira.

No mesmo dia, destacou Franco, ele recebeu ligação de municípios do Noroeste do Estado solicitando ações semelhantes por lá. "Isso mostra o quanto o trabalho integrado dá certo. Pensar estrategicamente, com conhecimento do que acontece nos vários órgãos de atuação". Para qualificar o trabalho, a Seapa, segundo ele, mobilizará as supervisões regionais.


Também participam do grupo as polícias Federal, Rodoviária Federal, a Receita Federal, prefeituras, sindicatos rurais, Federação da Agricultura do RS (Farsul); dos Trabalhadores na Agricultura do RS (Fetag); das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e Ministério da Agricultura (Mapa). Paralelo à criação do comitê regional, o tema também foi discutido em audiência pública, na tarde desta sexta, na Câmara de Vereadores.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink