RS: Cartão Emergência Rural leva novas perspectivas a agricultores familiares
CI
Agronegócio

RS: Cartão Emergência Rural leva novas perspectivas a agricultores familiares

Os agricultores familiares recebem o benefício de R$ 400
Por:
Uma iniciativa do Governo do Estado, em meio a um contexto climático de grandes dificuldades, tem renovado a esperança de muitos pequenos agricultores do noroeste gaúcho. No total, R$ 45 milhões do orçamento do Estado foram liberados para conceder o Cartão Emergência Rural a aproximadamente 100 mil famílias gaúchas. Os agricultores familiares recebem o benefício de R$ 400, e quilombolas, assentados e indígenas, de R$ 500.


Os agricultores Osvin Schleger e Celi Schoenwald vêem novas expectativas a partir do recebimento do cartão. No município em que o casal vive, Senador Salgado Filho, a seca prolongou-se durante oito meses. No auge das safras de verão, foram contabilizadas perdas de aproximadamente 40% na produção de leite; 20% na pecuária de corte; 80% no cultivo de milho; 60% na lavoura de soja; 30% na piscicultura; 75% na horticultura; 50% na fruticultura; e 25% na cultura de chás.

Na propriedade de seis hectares do casal, a situação não foi diferente. A baixa oferta de água e de alimentos reduziu pela metade a produção de leite das oito vacas. Pouco restou da pastagem e da lavoura de milho. Neste ano, não foi possível nem mesmo, produzir silagem como reserva de alimento para os animais. “Praticamente não teve espiga no milho. Quase só deu palha. Então, cortamos o que tinha e tratamos para o gado não morrer de fome. Foi muito difícil até passar essa seca e depois enfrentar a geada que ocorreu”, conta a agricultora Celi Schoenwald.


A extensionista rural da Emater/RS-Ascar em Senador Salgado Filho, Cleide Diel, reconhece que o período foi difícil e que o Cartão Emergência Rural chegou em boa hora para os agricultores da região. “O cartão é muito importante porque, após a estiagem, ele vem beneficiar as famílias que passaram um período muito difícil na agricultura. Todo o valor que vier é bem-vindo e pode, pelo menos, ajudar as famílias a reiniciarem a plantação”, afirma Cleide.

Com a possibilidade de usar o cartão, novos planos começam a ser feitos e as dificuldades começam a ficar para trás. “Se a seca voltar, vamos ter que enfrentar de novo como enfrentamos essa. Foi difícil sim, mas tínhamos saúde e conseguimos colher para a nossa alimentação. Com o valor do cartão, vamos tentar seguir a vida”, comenta o agricultor Osvin Schleger.


Os recursos liberados para agricultores com Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) de até R$ 18 mil e emitida até 27 de março de 2012, podem ser investidos na aquisição de insumos, alimentação humana e animal. O coordenador regional da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Alfeu Müller, enfatiza que além dos R$ 400,00 ajudarem na alimentação da família, dos animais e na aquisição de insumos, o valor também ajuda para a autoestima do agricultor. “E, nós, enquanto Governo do Estado, podemos transmitir à sociedade que de fato vale a pena valorizar as pessoas no lugar onde elas moram, visto que recomendávamos que o valor do cartão fosse investido no seu local de convívio, na sua cidade”, acrescenta.

Com o Cartão Emergência Rural na mão, as famílias rumam a novos desafios e sonhos. “Fazer o quê? Não dá para parar. Brasileiro é assim mesmo. Tem que lutar e pronto”, afirma com convicção o agricultor Osvin Schleger.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink