RS: Farsul critica preço mínimo do trigo estipulado pelo Mapa
CI
Agronegócio

RS: Farsul critica preço mínimo do trigo estipulado pelo Mapa

Ministério fixou saca em R$ 28,67. Entidade gaúcha almeja valor próximo a R$ 32
Por: -Lucas Rivas

A Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul) criticou o valor fixado pelo Ministério da Agricultura (Mapa) referente ao preço mínimo do trigo para a safra 2014/15. O valor da saca de 60 quilos foi taxado a R$ 28,67. A Farsul entende que o preço deveria girar em torno de R$ 32.


O presidente da Farsul, Carlos Sperotto, lamentou a decisão anunciada pelo Mapa, nesta terça-feira (10.06), que manteve o preço mínimo do trigo para atual safra, no entanto elogiou a posição da Conab de rever as planilhas de custos de produção para o próximo ano-safra, abrindo espaço para a elevação do valor. 

"Houve consenso quanto ao futuro, mas discordamos em relação ao que está posto para a safra anterior e a atual", disse Sperotto, referindo-se ao preço mínimo de R$ 28,67, a saca, e à falta de mecanismos que impeçam a retirada da Tarifa Externa Comum (TEC) de 10% para importação do cereal de fora do Mercosul.


A informação de que o preço mínimo não seria alterado, apesar da sugestão dos produtores, foi dada pelo secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Seneri Paludo, após reunião realizada na sede da Farsul, em Porto Alegre. 

As entidades representativas dos agricultores alegam que o cálculo de custos da Conab resulta em valores inferiores aos praticados no campo, por não levar em conta novas tecnologias aplicadas na lavoura.

Paludo explicou que em outubro são fechadas as tabelas de custo de produção e são feitas as indicações de preços mínimos para o próximo ano. Por essa questão legal, não será possível rever a metodologia utilizada, disse Paludo, mas o secretário garantiu algumas revisões já nos próximos meses. 

No Rio Grande do Sul, a semeadura do trigo da safra 2014 começou em maio de forma lenta, em função do excesso de umidade no solo. De acordo com a Emater/RS-Ascar, pela média estadual, o percentual deveria ser de 25% ao invés dos 12% atuais. O Estado destinou mais de 1,103 milhão de hectares para cultivo do trigo, com produção estimada em mais de 2,978 milhões de toneladas. O RS é o segundo maior produtor de trigo do Brasil, atrás apenas do Paraná.


ICMS

Sperotto acredita que nos próximos dias deve haver uma decisão por parte do Governo do Rio Grande do Sul em relação ao pedido de redução da alíquota do ICMS de 8% para 2%, feito pela Farsul. A questão já passou pela Secretaria da Fazenda do Estado e pela Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Trigo. “Nossa proposta é de redução do ICMS até o fim de agosto e, caso a TEC seja retirada e ainda reste estoque no Rio Grande do Sul, a redução se manteria por igual período de isenção da TEC”, explicou o presidente.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink