RS: manejo do solo é realizado na horta do CRAS em Campos Borges
CI
Imagem: Divulgação
AGRICULTURA

RS: manejo do solo é realizado na horta do CRAS em Campos Borges

O extensionista rural agropecuário da Emater/RS-Ascar explica que a adoção das práticas de recuperação do solo
Por:

Com o intuito de auxiliar na recuperação da fertilidade do solo e na melhoria da sua estrutura para que se tenha uma melhor qualidade na produção de alimentos, extensionistas da Emater/RS-Ascar, vinculara à Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), realizaram na última semana ações na horta do Centro de Referência em Assistência Social (Cras), em Campos Borges. Os extensionistas realizaram o trabalho de correção de solo com utilização de calcário dolomítico para correção da acidez e a semeadura de um mix de sementes de plantas de verão, entre elas milheto, milho, crotalária e teosinto, para cobertura do solo e recuperação da matéria orgânica.

A ação faz parte do projeto que visa incentivar a produção de alimentos, o estímulo à adoção de hábitos saudáveis na população e uma alimentação de qualidade por meio da produção de mudas, alimentos e plantas medicinais para distribuição e consumo das famílias usuárias da Assistência Social e aos participantes de atividades promovidas pelo Cras e pela Emater/RS-Ascar. Para tanto, os extensionistas contaram com o apoio das secretarias municipais de Agricultura e de Assistência Social, Cooperativa Cotriel, Empresa Gadenz e Parizzoto.

O extensionista rural agropecuário da Emater/RS-Ascar Marcos Eduardo Pereira Rosa explica que a adoção das práticas de recuperação do solo, como a calagem, apresenta uma série de vantagens como fornecer cálcio e magnésio para as plantas, aumentar o pH do solo, favorecendo o desenvolvimento das culturas, diminuir os teores de alumínio no solo impedindo que o mesmo cause toxidez às plantas. "A toxidez de alumínio prejudica o crescimento das raízes dos vegetais e a absorção de nutrientes. Aumentar a disponibilidade do fósforo no solo, favorecendo seu aproveitamento pelas plantas, aumentar a população de bactérias fixadoras de nitrogênio irá facilitar o desenvolvimento das culturas, principalmente as leguminosas", explica.

Outra recomendação é uso das plantas recuperadoras de solo. "Isso traz uma maior proteção do solo contra a erosão, proporciona a fixação de nitrogênio, a reciclagem ou bombeamento de nutrientes das camadas mais profundas do solo para a parte aérea das plantas, melhoria da estrutura e aeração do solo, descompactação e é uma fonte de nutrientes para a microvida do solo, permitindo maior conservação de umidade, maior infiltração da água e menor variação da temperatura", observa.

Neste período ainda seguem sendo cultivas hortaliças como repolho e beterraba, pepino, além do cultivo de uma área para viveiro de variedades de batata-doce, milho e mandioca para distribuição de sementes e mudas no próximo ano.

O programa ainda prevê ações de promoção da cidadania, defesa e garantia de direitos, entre eles o direito à alimentação saudável, além de fomentar atividades produtivas, destinadas às famílias rurais do CadÚnico.

A horta comunitária está localizada ao lado do Cras e a retirada das mudas ou de alimentos já no ponto de colheita deve ser agendada pelo telefone (54) 3326- 1458, no Cras.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink