RS: plataforma agiliza sistema de sanidade animal
CI
Imagem: Pixabay
AVES E SUÍNOS

RS: plataforma agiliza sistema de sanidade animal

Em menos de três meses de funcionamento módulo já emitiu 105 certificados
Por:

Em menos de três meses de funcionamento, o módulo de certificação de granjas avícolas da Plataforma de Defesa Sanitária Animal (PDSA) do Rio Grande do Sul já emitiu 105 certificados e 685 laudos de estabelecimentos de reprodução de aves. Conforme o presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS, Rogério Kerber, os números sinalizam um caminho de informatização de atividades relacionadas à sanidade que só tende a crescer.  “Esse processo remete a um novo momento em que alguns procedimentos presenciais e emissão de documentos físicos deixam de ser necessários, gerando economia de tempo e recursos”, afirma.

A Plataforma foi desenvolvida pelo Colégio Politécnico da Universidade de Santa Maria através de convênio com o Fundesa, a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, e o Ministério da Agricultura. Nesta semana se iniciam os treinamentos para um novo módulo da PDSA, para a inclusão de dados mensais de vacinação e notificação de doenças. “Com essa nova funcionalidade, o sistema poderá gerar dados epidemiológicos, para enfermidades que não são as de notificação imediata” afirma a coordenadora do Programa Nacional de Sanidade Avícola no RS, Tais Barnasque.

A suinocultura também terá um módulo de certificação de granjas e dados epidemiológicos. O cronograma de elaboração foi definido nesta segunda-feira (7) em reunião do Conselho Técnico Operacional (CTO) da Suinocultura do Fundesa. Técnicos das empresas integradoras, Serviço Veterinário Oficial e integrantes do CTO deliberaram sobre quais ferramentas são necessárias para atender as demandas do setor. “Nossa equipe já tem amplo conhecimento das necessidades relacionadas à sanidade animal, por isso agora o trabalho começa de um patamar mais avançado”, explica o professor Alencar Machado, responsável pelo projeto na UFSM.

A pesquisadora Laura Almeida, do Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor (IPVDF), que atua no segmento da suinocultura, acredita que o uso da plataforma para o setor “trará um ganho real importante de redução de prazo dos laudos e essa agilidade é fundamental para o pessoal do campo”.  O módulo para a certificação de granjas integra os responsáveis técnicos das granjas, o serviço veterinário estadual, os laboratórios e o Ministério da Agricultura, gerando dados em tempo real para o acompanhamento desde o agendamento de coleta de amostras, até a geração do laudo e certificação pelo Mapa. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink