RS começa a colher safra de oliva
CI
Imagem: Pixabay
20/21

RS começa a colher safra de oliva

O clima prejudicou os pomares
Por: -Eliza Maliszewski

A colheita da nova safra de olivas já começou no Rio Grande do Sul, principal estado produtor. A expectativa é animadora. Segundo o Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva) a expectativa inicial dos produtores era repetir a colheita de 2019, que teve volume recorde de 1,5 milhão de quilos de azeitonas e rendeu 230 mil litros de azeite de oliva, mas teve que ser revista. “Vamos superar a baixa produção de 2020, quando colhemos 450 toneladas e produzimos 48 mil litros de azeite de excelente qualidade. Mais uma vez, o clima mudou nossos planos”, afirma Fabrício Carlotto, diretor técnico do Ibraoliva.

O clima prejudicou os pomares. Embora a florada tenha sido boa, ocorreu em momentos distintos nas duas principais variedades. A Arbequina ficou 15 dias florida, mas sem ter quem a polinizasse, porque a Arbosana não floriu junto. Além disso, em alguns locais a chuva prejudicou a polinização e, consequentemente, o pegamento de frutos. Também contribuíram outros fatores climáticos, como grandes variações de temperatura durante o inverno e episódios de frio na floração e depois da pegação do fruto. 

O Rio Grande do Sul tem cerca de seis mil hectares plantados. Número que já pode ter sido superado pelo crescimento do setor. Em 2021 um número significativo de propriedades farão a nova colheita, como a do próprio presidente do Ibraoliva, Paulo Marchioretto, em Encruzilhada do Sul (RS). “São pomares iniciados em 2017, que estão no quarto ano e começarão a produzir agora, temos vários nessa situação. É uma compensação, diminuiu a quantidade de frutos nas oliveiras mas está aumentando a quantidade de olivais oferecendo o fruto, isso também contribui para um aumento de produção”, comemora. Ele acredita que o Estado já está perto de sete mil hectares.

Também houve antecipação da produção nos olivais da Serra da Mantiqueira, região montanhosa que se espalha pelos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Em algumas propriedades, a colheita de azeitonas foi em dezembro e o azeite já está pronto.

O Brasil conta hoje com aproximadamente 330 olivicultores e 100 marcas de azeite de oliva extravirgem. O crescimento do setor supera os 30% ao ano, com os pioneiros também diversificando o mix de produtos, como chocolates, chás, produtos de beleza e itens de madeira. O Rio Grande do Sul possui cerca de 35 rótulos e representa 70% da produção nacional. O município de Encruzilhada do Sul é o que tem maior área plantada, são 42 olivais em mais de 1.000 hectares plantados.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink