Rússia define quotas de importação para carnes bovina, suína e de aves
CI
Agronegócio

Rússia define quotas de importação para carnes bovina, suína e de aves

Por:

A Rússia pretende impor quotas sobre as importações de carnes bovina, suína e de aves, a partir deste ano, para encorajar a produção doméstica e enfrentar os limites ao fornecimento de trigo propostos pela União Européia (UE). O governo do país concordou em limitar as importações de aves para 1,05 milhão de toneladas por ano, a começar no segundo trimestre de 2003, anunciou Konstantin Bogdanov, porta-voz do Ministério da Economia. Segundo divulgado pelo jornal Vedomosti, a Rússia importou 1,34 milhão de toneladas de frango em 2001.

Bogdanov informou que "as quotas de carnes valerão para três anos, e quaisquer importações acima serão proibidas." A Rússia barrou as importações de aves dos Estados Unidos por seis meses em 2002, alegando preocupações com a saúde, depois que Washington impôs tarifas sobre o aço russo. Cerca de dois terços do mercado avícola russo, de US$1 bilhão por ano, inclui importações, na maioria de empresas norte-americanas, como a Tyson Foods e a Pilgrim’s Pride.

Produção local

Os produtores domésticos de frango, peru e pato registraram um avanço de 13% na produção durante os primeiros oito meses de 2002, à medida que os produtores agrícolas russos compensavam a perda com importações. Alexei Gordeyev, ministro da Agricultura da Rússia, disse que as quotas eram necessárias para proteger os produtores russos de aves e de gado, e porque a União Européia está propondo limitar os fornecimentos de trigo do país.

Valor da quota

As importações de aves dentro da quota corresponderão a 25% do valor aduaneiro, ou um mínimo de € 220 (US$ 230) por tonelada, divulgou a Prime-Tass, citando o ministro da Economia do país, German Gref. Os russos consomem entre 1,9 milhão de toneladas e 2,2 milhões de toneladas de frango por ano, informou o Vedomosti, citando Andrei Kushnirenko, diretor do departamento tarifário ministerial.

O governo russo também planeja estabelecer quotas sobre as importações de carne bovina e suína a partir de 2003. A quota para a carne vermelha foi estabelecida em 420 mil toneladas anuais. Os fornecimentos dentro desse limite pagarão uma taxa de 15%, ou um mínimo de € 150 (US$ 156,8) por tonelada. As importações além da quota pagarão uma taxa de 60%, ou não menos do que € 600 (US$ 627,1) por tonelada.

Já a quota fixada para a carne suína foi estabelecida em 450 mil toneladas. As importações dentro do limite pagarão uma taxa de 15%, ou no mínimo € 250 (US$ 261,3) por tonelada. Os fornecimentos que superarem esse patamar pagarão uma tarifa de 80% sobre o valor da carga, ou no mínimo 1,06 mil euros por tonelada (US$ 1,10 mil por tonelada).


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.