Rússia exportou 50% a mais de grãos do que no ano passado

CRESCIMENTO

Rússia exportou 50% a mais de grãos do que no ano passado

A Rússia já controla 22% do mercado mundial de trigo
Por: -Leonardo Gottems
262 acessos

Dados do Serviço Federal de Alfândegas (FTS) e do Ministério da Agricultura russos indicam que o volume das exportações de grãos do país cresceu 50% em comparação ao que foi observado no ano anterior. No final de abril as exportações de grãos já somavam 43,2 bilhões de toneladas, com o volume de cevada aumentando 30% e o de trigo 43%. 

Com esses altos índices, a Rússia não apenas é a maior produtora de alimento, como também está alcançando uma larga vantagem ante seus principais concorrentes no setor. Enquanto em 2016 foi a primeira vez que os russos ultrapassaram os norte-americanos na exportação de trigo, no ano passado o país superou a União Europeia e garantiu sua liderança no mercado mundial de vendas de trigo.  

A larga vantagem dos russos pode ser observada em dados divulgados pelo Ministério da Agricultura dos Estados Unidos, que mostram que a Rússia controla 22% do mercado mundial de trigo, a UE representa uma fatia de 14% e os EUA são responsáveis por 13%. A tendência para os próximos anos é de que o país domine ainda mais o mercado de grãos, impulsionado pelos preços razoáveis, alta qualidade, conquista de novos mercados e fatores externos. 

Especialistas acreditam que a combinação entre o investimento russo em um grande programa de incentivo à agricultura e a guerra das sanções iniciadas por EUA e UE em 2014, são os principais responsáveis por fomentar o crescimento da produção e exportação de grãos russos. Enquanto o programa de incentivo a agricultura garante aos produtores empréstimos em condições preferenciais e tarifas menores para o transporte de cereais, as sanções impostas pelos concorrentes fizeram Moscou proibir sua importação de produtos agrícolas em países ocidentais, o que fez a importação de alimentos dos europeus cair 40%. 

Apoiada nesses fatores, a Rússia que importava 35% dos alimentos que consumia em 2013, teve essa taxa reduzida em menos de 20%. Além do aumento na produção de grãos, a Rússia também conseguiu aumentar a produtividade de carnes de frango e porco, substituindo grande parte das importações para consumo. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink