Rússia termina com embargo às carnes brasileiras

Agronegócio

Rússia termina com embargo às carnes brasileiras

O comunicado oficial foi enviado hoje ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)
Por:
1 acessos

A Rússia pôs fim ao embargo às importações de carnes bovina e suína dos principais estados exportadores do Brasil. O comunicado oficial do diretor do Serviço Nacional de Supervisão Sanitária e Fitossanitária da Rússia, Evgueni Nepoklonov, foi enviado nesta terça-feira (19-04) ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A revogação do embargo entra em vigor nesta quarta-feira (20-04) e deixa de fora os estados do Pará, Amazonas, Acre, Rondônia, Tocantins, Maranhão e Roraima. O diretor do Departamento de Assuntos Sanitários e Fitossanitários da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio, Odilson Ribeiro, disse que esses estados nunca tiveram frigoríficos habilitados para exportar para a Rússia.

“Em princípio, não houve nenhum impacto negativo. O que se espera, no futuro, com a vinda de novas missões e a demonstração de qualidade sanitária da carne brasileira, é que a gente possa habilitar novos estabelecimentos e contemplar essas áreas que não estão exportando para a Rússia”, afirmou Ribeiro.

Segundo o diretor, o Mapa já propôs ao Serviço Veterinário da Rússia que uma nova missão venha ao País a partir do dia 09 de maio para visitar estabelecimentos ainda não habilitados. O governo brasileiro aguarda uma confirmação dos russos.

“A Rússia é o principal mercado consumidor de carnes do Brasil, levando-se em conta países isoladamente. Essa decisão comprova o bom entendimento bilateral, principalmente nas áreas de defesa sanitária, para alcançar resultados benéficos para ambas as partes”, afirmou Ribeiro. Em 2004, a Rússia comprou US$ 867 milhões de carnes do Brasil, o que representou 14% das exportações totais desse produto em 2004. As exportações de carne bovina in natura somaram US$ 239 milhões; de carne suína, US$ 441 milhões; e de carne de frango in natura, US$ 159 milhões.

O embargo russo às carnes brasileiras teve início em setembro de 2004, quando ocorreu um foco de febre aftosa no município de Careiro do Várzea, no Amazonas. Em novembro do ano passado, a Rússia já havia liberado as importações de carnes de Santa Catarina.

No início de fevereiro, os russos liberaram a importação de carne de frango do Brasil, com exceção da produzida no Pará e Amazonas. No início de março, os estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais já tinham sido liberados do embargo.

Encontro:

O ministro Roberto Rodrigues tem um encontro marcado para esta quarta-feira (20-04), às 10h15 na sede do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), em Washington, com o secretário de Agricultura, Mike Johanns, para negociar a abertura do mercado americano à carne “in natura” brasileira.

Em pauta, o relatório da missão veterinária do Departamento de Agricultura dos EUA que esteve semana passada vistoriando frigoríficos exportadores e considerou inadequadas as condições sanitárias de alguns estabelecimentos. “Queremos evitar que o relatório venha afetar as exportações de nossa carne”, explicou o ministro.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink