Safra de cana deve ser 10% maior

Agronegócio

Safra de cana deve ser 10% maior

Por:
1 acessos

A safra paulista de cana-de-açúcar 2002/03, cuja colheita está marcada para ter início em abril, deve atingir 234 milhões de toneladas, 10% superior ao volume registrado na temporada anterior, de 212,7 milhões de toneladas, segundo estimativa do Instituto de Economia Agrícola (IEA), órgão ligado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O crescimento na produção deve-se ao aumento de 3,6% ou 110 mil hectares na área plantada, que alcançou 3,118 milhões de hectares, e ao clima favorável, com o registro de um bom volume de chuvas a partir de novembro nas principais regiões produtoras do Estado.

"Depois de crescer 5,5% na safra do ano passado e registrar uma participação de 29,55% ou R$ 5,996 bilhões do valor da produção agropecuária paulista de 2002, os números indicam que a cana-de-açúcar, principal produto agrícola do Estado de São Paulo, terá mais um ano favorável", diz o Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Duarte Nogueira. Segundo o Secretário, a cadeia da cana emprega diretamente 400 mil pessoas em São Paulo e ocupa cerca de 40% de toda a área plantada no Estado. As exportações paulistas de açúcar e álcool atingiram US$ 1,57 bilhão em 2002, o que significou uma participação de 68,7% dos embarques brasileiros. Já a produção paulista, oriunda principalmente de Ribeirão Preto, Araraquara, Piracicaba e Jaú, representou 68% de toda a cana moída no Brasil; 75% do açúcar e 61% do álcool produzidos pelo país.

Outra cultura perene de destaque em São Paulo é a laranja, que, segundo estimativa do IEA, alcançará neste ano agrícola 362,742 milhões de caixas de 40,8 quilos, praticamente o mesmo volume da safra anterior (a projeção é de um ligeiro acréscimo de 0,2% sobre a produção colhida em 2002, de 361,742 milhões de caixas). Mesmo com a estiagem ocorrida nos pomares no segundo semestre do ano passado, a safra deste ano será igual de 2002. Em 2002, a laranja foi um dos principais destaques da pauta agrícola do Estado, registrando aumento na produção (10,2%), nos preços (10%) e nas exportações (21%) .

O Estado de São Paulo exportou o equivalente a US$ 1,034 bilhão em suco de laranja em 2002, o que representou 95,8% das vendas totais do país ao exterior e um crescimento de 21,1% sobre o valor obtido no ano anterior, de US$ 854,227 milhões. A laranja para indústria e a laranja de mesa ocupam a terceira e a quarta posição no ranking do valor da produção agropecuária do estado, com 10,2% (R$ 2,066 bilhões) e 5,6% (R$ 1,145 bilhão) de participação, respectivamente.

A produção paulista de café foi estimada pela IEA em 210,30 mil toneladas (3,5 milhões de sacas de 60 quilos), queda de 25% sobre o colhido na safra anterior, de 280,31 mil toneladas. Porém, o recuo na safra paulista é menor que a baixa da produção nacional, em torno de 40%, segundo levantamento feito pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). São Paulo é terceiro maior produtor de café no Brasil, atrás de Minas Gerais e Espírito Santo.

Este ano, o fator positivo para produtores e exportadores de café será o preço que, com a menor oferta de grão - brasileira e mundial - tende a subir cada vez mais ao longo do ano, reativando o setor, que nos últimos dois anos, passou por uma das piores crises de sua história, com cotações abaixo do custo de produção.

A safra paulista de grãos deve crescer em torno de 5%, para 5,74 milhões de toneladas, em relação ao volume colhido na safra anterior, segundo estimativa preliminar feita pelo Instituto de Economia Agrícola. Na última previsão do IEA, feita com base em dados colhidos em novembro último, a safra de grãos paulista foi estimada em 5,48 milhões de toneladas, repetindo o desempenho da safra passada. No entanto, o bom volume de chuvas registrado nos últimos meses nas lavouras do Estado possibilitou um aumento de produtividade dos grãos, o que fez o IEA rever para cima os números da safra paulista de grãos. A área plantada de grãos no Estado de São Paulo foi estimada em 1,573 milhão de hectares, 0,41% acima dos 1,566 milhão de hectares da safra anterior.

No levantamento de novembro, os técnicos do IEA previam uma safra de milho, que responde por mais de 60% da produção de grãos do Estado, de 3,387 milhões de toneladas, um aumento de 1,26% sobre o volume do ano anterior, de 3,345 milhões de toneladas. A área plantada do milho registrou crescimento de 1,49%, para 742,47 mil hectares. A safra de soja, que responde por cerca de 30% de toda a produção de grãos do Estado, foi projetada novembro em 1,610 milhão de toneladas, alta de 3,45% sobre o volume colhido na temporada anterior, com crescimento de 6,56% na área plantada, atingido 605,57 mil hectares.

Gazeta Estado de São Paulo


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink