Safra de verão gaúcha aumenta 19%


Agronegócio

Safra de verão gaúcha aumenta 19%

Por:
1 acessos

O Rio Grande do Sul deve colher 18.789.283 milhões de toneladas na safra de verão 2002/2003, 19,63% acima da colhida no ano passado. O volume faz parte da primeira estimativa da Emater/RS, realizada na primeira quinzena de março, que aponta para a produção de 7,843 milhões de toneladas soja, 5,252 milhões de toneladas de milho e 5,594 milhões de toneladas de arroz. O levantamento semanal da situação das culturas e criações da Emater/RS informa também que o feijão primeira safra que está com mais de 99% da área colhida. O quadro climático da semana foi caracterizado pela instabilidade, com ocorrência de chuvas que variaram de intensidade e quantidade conforme a região.

Segundo avaliação do presidente da Emater/RS, Caio Rocha, a safra inicialmente prevista é resultado dos investimentos que os produtores fizeram nas lavouras a partir dos preços obtidos com a comercialização no ano passado e que permitiram aos agricultores adotarem tecnologia. `O fator clima, sem dúvida alguma, também ajudou`, observou Rocha.

A expectativa atual da Emater/RS é que a produtividade das lavouras de soja fique ao redor de 2.234 kg/ha, 30% a mais que no ano passado, o que resultaria numa produção de aproximadamente 7,843 milhões de toneladas. Foram pesquisadas 70% da área total, estimada em 3,511 milhões de hectares. Nesse momento, 11% das lavouras estão prontas para colheita e 80%, em enchimento de grãos. Mesmo com pequeno atraso no comparativo com anos anteriores, o clima da semana foi favorável para a última fase da cultura, que apresenta boa formação de vagens e grãos.

A Emater/RS aponta para uma produtividade média esperada para o milho de 3.780 kg/ha. A amostragem foi realizada em 65% da área total, estimada em 1,390 milhão de hectares. Se a tendência continuar assim, o Estado pode alcançar produção aproximada de 5,253 milhões de toneladas, quase 35% a mais do que a produção anterior. Apesar do tempo instável, que provoca pequenas interrupções na colheita, a cultura está com 36% de área já colhida. Em regiões onde a mecanização é mais intensa, o percentual é mais elevado, chegando a 60%.

A colheita do arroz continua atrasada devido ao tempo instável e à alta umidade do período, que não permitiram o trabalho normal nas lavouras. O percentual colhido está em 8%, quando o normal para essa época seria de 16%. De acordo com o levantamento da Emater/RS, o Estado pode colher nos próximos meses produção de 5,59 milhões de toneladas na área cultivada de 969,7 mil hectares. A produtividade estimada é de 5.769 kg/ha. A queda de temperatura durante o período da noite, em regiões importantes como a Sul, Campanha e Fronteira-Oeste, tem preocupado os orizicultores, pois o percentual da área em floração e desenvolvimento vegetativo de 20% é considerado ainda alto se comparado com anos anteriores.

Resta menos de 1% da área de feijão para ser colhida. Com a primeira safra praticamente encerrada, o Estado deverá colher segundo as últimas estimativas, uma produção de 99.002 toneladas. Esta quantidade é 31,54% menor do que a inicialmente prevista (144.609 toneladas em dezembro de 2002). O rendimento deve ficar em 835 quilos por hectare na área plantada de 118.566 mil hectares. O excesso de chuva ocorrido nas principais zonas produtoras no período de floração contribuíram para a redução. Devido a menor oferta do produto, a cotação da saca continua alta, oscilando entre R$ 65,00 e R$ 100,00.

O tempo com instabilidade e ocorrência de chuvas, prejudicou o andamento de algumas culturas como o milho e o arroz, e também a produção de hortigranjeiros, porém beneficiou outras como as forrageiras. A intensidade e quantidade variaram de região para região. A mais castigada foi a Central, com municípios acumulando precipitações acima dos 100mm. Nas outras regiões, a umidade ocorrida, intercalada por períodos de boa radiação solar, foi suficiente para manter o balanço hídrico positivo, beneficiando as lavouras, que se encontram em fase de floração e enchimento de grãos.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink