Safra vem novamente ‘alcooleira’

Agronegócio

Safra vem novamente ‘alcooleira’

Serão esmagadas 14,20 milhões de toneladas de cana-de-açúcar
Por:
1445 acessos
A produção de etanol deverá atingir 900 milhões de litros no ciclo 10/11, em Mato Grosso, incremento de 5,88% em relação à ultima safra (850 milhões/l), segundo projeção divulgada nesta terça-feira (12) pelo Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado (Sindálcool). No total, serão esmagadas 14,20 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, crescimento de 4,41% na comparação com a safra anterior (13,60 milhões/t). Mesmo com a recuperação dos preços, a produção de açúcar vai encolher de 440 mil toneladas para 428 mil/t, queda de 2,73% de uma safra para a outra.


De acordo com o Sindálcool, mais uma vez as usinas mato-grossenses vão priorizar a produção de etanol, devido ao fator logística. “Não temos modais adequados para o transporte do açúcar aos grandes centros ou mesmo ao exterior, por isso a nossa safra continuará mais alcooleira do que açucareira”, explicou o diretor executivo da entidade, Jorge dos Santos. A proporção da safra será de 73% para o etanol e 27% para o açúcar.

O consumo mato-grossense de etanol deverá ficar entre 420 mil a 450 mil litros. O excedente irá para os mercados que Mato Grosso atende: Acre, Rondônia e Amazônia. No caso do açúcar 60% da safra ficará no Estado, para consumo doméstico.

A moagem começou na primeira semana de abril e deve se estender até novembro. Até agora, segundo levantamento do Sindálcool, três usinas – Itamarati (Nova Olímpia), Libra (São José do Rio Claro) e Novo Milênio I (Lambari D’Oeste) iniciaram a atividade em Mato Grosso. A Itamarati tem previsão de moer 5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, a Libra 600 mil/t e, a Novo Milênio, 900 mil/t.


Até o final deste mês outras seis usinas - Barralcool (Barra do Bugres), Cooprodia (Campo Novo dos Pareci), Pantanal (Jaciara), Novo milênio II, (Mirassol D’Oeste), Alcoopan (Poconé) e Usimat (Campos de Júlio) – deverá iniciar a moagem.

As três maiores usinas do Estado – a Itamarati, Barrálcool e a ETH Bioenergia – deverão produzir 535 milhões de litros de etanol, quase 60% da safra estadual. A Itamarati é a líder com estimativas de produção de 240 milhões/l.

A temporada de moagem de cana-de-açúcar deverá movimentar cerca de 17 mil trabalhadores nos canaviais e na indústria de Mato Grosso.

BRASIL – Em todo o país, a safra de etanol alcançará 25,51 bilhões de litros, incremento de 0,52% em relação à ultima safra. A projeção é da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). De acordo com a entidade, a moagem prevista para a nova safra, que começou oficialmente em abril, é de 568,50 milhões de toneladas, crescimento de 2,11% em relação ao total processado na safra anterior.

A Unica prevê, no entanto, que as exportações de etanol devem apresentar retração significativa, chegando a 1,45 bilhão de litros, queda superior a 18% em relação à safra 2010/2011. Com isso, a entidade projeta que o mercado doméstico terá um incremento de quase 500 milhões de litros de etanol, mas a destaca que esse aumento ainda “é inferior ao crescimento esperado na demanda em função das vendas aceleradas de carros flex”.


Do total de cana-de-açúcar projetado para a nova safra, a Unica estima que 45,34% serão destinados à produção de açúcar e 54,66% à produção de etanol. Na ultima safra, 44,71% foi destinado à produção de açúcar. A produção de açúcar projetada para 2011/2012 é de 34,58 milhões de toneladas, crescimento de 3,25% em relação ao período anterior.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink