São Paulo inverte o calendário de vacinação contra a febre aftosa

Febre aftosa

São Paulo inverte o calendário de vacinação contra a febre aftosa

Na primeira etapa da campanha, que será realizada em maio, deverão ser vacinados todos os bovinos e bubalinos
Por:
682 acessos

Para uniformizar o calendário com os demais estados do Brasil, com vistas à retirada da vacinação contra a febre aftosa em 2021, o estado de São Paulo inverteu o calendário a partir deste ano. Na primeira etapa da campanha, a ser realizada durante o mês de maio, deverão ser vacinados todos os animais do rebanho, bovinos e bubalinos, independente da idade. O rebanho paulista é estimado em 11 milhões de cabeças.

Para traçar as estratégias da campanha, que tem início no dia 1º de maio no Estado de São Paulo, médicos veterinários da Secretaria de Agricultura e Abastecimento que atuam nas 40 regionais da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) estarão reunidos na quarta-feira (04/04), no Escritório de Defesa Agropecuária de Bauru.

País livre da febre aftosa

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no próximo mês de maio, por ocasião da 86ª Sessão Geral da Assembleia Mundial de Delegados da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), os Estados do Amapá, Amazonas, Roraima e parte do Pará receberão o certificado oficial de zona livre da febre aftosa com vacinação, representando a última etapa dessa fase no processo de erradicação da doença no País. A partir deste ato caberá manter essa condição e avançar para um país livre de febre aftosa sem vacinação, como já alcançado pelo estado de Santa Catarina desde 2007.

A retirada da vacinação contra a febre aftosa está prevista no Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, do Mapa. Para São Paulo, que pertence ao grupo IV, juntamente com Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe e Tocantins, a previsão é em 2021. Leia também: Sanidade animal: entenda o fim da vacinação.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink