Saqueadores destroem soja recém-colhida
CI
Imagem: Divulgação
PREJUÍZO

Saqueadores destroem soja recém-colhida

Ações têm assustado agricultores argentinos
Por: -Eliza Maliszewski

Ataques constantes de vândalos têm assustado produtores argentinos. Já foram vários casos pelas fazendas do país. Nesta época é comum que os silos-bolsas, com média de 60 metros de comprimento, abriguem a soja recém-colhida na lavoura. Cada um desses compartimentos vale cerca de US$ 100 mil, a unidade. Os silos-bolsas são feitos de polietileno e muito usados para guardar a soja na lavoura na Argentina.

Munidos de facas os saqueadores atacam a noite e deixam toda a soja exposta, o que faz perder o valor comercial. Os ataques não são novidade no país e já acontecem há anos mas se intensificaram nesta safra. No ano já seriam pelo menos 150.

Ainda é um mistério o motivo das ações mas especula-se que seriam grupos radicais favoráveis ao governo argentino que é de esquerda e tem tensões com o setor agrícola, formado por grandes produtores. O governo descarta esta hipótese.

Algumas medidas estão sendo tomadas para evitar os ataques. Na província de Córdoba, que concentra 25% da produção de soja do país, o ministro da Agricultura local está coordenando a implementação de um projeto-piloto para instalar alarmes nos silos-bolsas.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink