SC: mais de 2 mil cestas são distribuídas a povos tradicionais
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,690 (-0,32%)
| Dólar (compra) R$ 5,49 (1,64%)

Imagem: Eliza Maliszewski

DOAÇÃO

SC: mais de 2 mil cestas são distribuídas a povos tradicionais

Um total de 2.104 famílias quilombolas de Santa Catarina começam a receber nesta terça-feira (25) cestas de alimentos
Por:
43 acessos

Um total de 2.104 famílias quilombolas de Santa Catarina começam a receber nesta terça-feira (25) cestas de alimentos do governo federal. Esta ação é executada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e com a Fundação Cultural Palmares (FCP), visando atender povos tradicionais em situação de insegurança alimentar e nutricional.

Os alimentos serão distribuídos para comunidades quilombolas de 13 municípios catarinenses, indicadas pela Fundação Cultural Palmares. Os beneficiários contemplados estão em Abdon Batista/Campos Novos (680 famílias), Araquari (170 famílias), Balneário Camboriú (20 famílias), Capivari de Baixo (240 famílias), Florianópolis (62 famílias), Garopaba (278 famílias), Joinville (120 famílias), Paulo Lopes (114 famílias), Porto Belo (60 famílias), Praia Grande (124 famílias), Santo Amaro da Imperatriz (164 famílias), São Francisco do Sul  (30 famílias) e Monte Carlo (42 famílias).

A doação de alimentos aos quilombolas catarinenses foi possível a partir da transferência para Santa Catarina de 1.362 cestas do Paraná e 742 do Rio Grande Sul. A operação foi autorizada pelo MMFDH, que repassou à Conab os recursos para aquisição dos alimentos e para montagem e distribuição das cestas no país, em uma medida do governo federal de enfrentamento dos efeitos da pandemia de COVID-19.

Nesta ação em Santa Catarina, os produtos somam cerca de 32 toneladas. Cada cesta tem 22 quilos e é composta de arroz, feijão, fubá de milho, açúcar cristal, farinha de trigo, leite em pó, macarrão e óleo de soja. Além desta doação, a Conab mantém a distribuição de alimentos também às famílias indígenas catarinenses.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink