SC lança versão brasileira de campanha de prevenção à Peste Suína Africana
CI
Imagem: Pixabay
SAÚDE ANIMAL

SC lança versão brasileira de campanha de prevenção à Peste Suína Africana

Por meio de uma parceira inédita com a FAO, Santa Catarina lança a versão brasileira da campanha de prevenção à PSA
Por:

Por meio de uma parceira inédita com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Santa Catarina lança a versão brasileira da campanha de prevenção à Peste Suína Africana. Com o título “Seja um Produtor Campeão”, a iniciativa é voltada principalmente a pequenos produtores e produtores independentes de todo o país. A animação foi criada pelo Centro de Emergências para Doenças Animais Transfronteiriças (ECTAD) da FAO e traduzida para o português pela Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina com o apoio do escritório da FAO no Brasil.

“A FAO reconhece a importância de tornar a informação acessível para todos, especialmente para pequenos produtores rurais, que seriam os mais afetados pela doença (PSA). O vídeo em Português será um valioso recurso para os produtores no Brasil. Nós fizemos os conteúdos do vídeo mais aplicáveis e fáceis de entender, comparando boas e más práticas de biosseguridade. Esperamos que os produtores possam seguir as boas práticas e proteger os rebanhos da PSA. Além disso, o material vai ajudá-los a manter as propriedades ainda mais seguras, não só da PSA, mas da saúde dos animais como um todo”, ressalta o Coordenador Regional de Projetos (RAP) do Centro de Emergências para Doenças Transfronteiriças (ECTAD) da FAO, Yooni Oh (tradução livre da Secretaria de Agricultura).

O representante da FAO no Brasil, Rafael Zavala, completa ainda que a tradução do vídeo reforça o compromisso da FAO de proteger os países, além de ajudar a controlar a doença, mapear os surtos e implementar planos de prevenção nas áreas que não foram afetadas, em plena coordenação e colaboração com as autoridades nacionais de saúde. “Este conteúdo vem ao encontro da iniciativa promovida pela FAO do manual de ‘Boas Práticas na Gestão de Emergências em Saúde Animal’ (GEMP, em inglês). Com a tradução do vídeo, podemos promover a criação de capacidades nos países para se prepararem frente a uma emergência que afete a saúde animal”.

Maior produtor e exportador nacional de carne suína, Santa Catarina é reconhecido internacionalmente pelo cuidado com a saúde animal e o vídeo será mais uma ferramenta de conscientização de todos os envolvidos com a cadeia produtiva.

“O Governo do Estado de Santa Catarina está muito feliz com a parceria que firmamos com a FAO. O vídeo, ‘Seja um Produtor Campeão’, é um recurso valioso para que possamos evitar a chegada da Peste Suína Africana em nossas propriedades. Queremos agradecer a FAO por compartilhar esse material com vários outros países e em especial o Brasil. Aqui em Santa Catarina seremos pioneiros em multiplicar esse material informativo e assim proteger todo o movimento econômico gerado pela cadeia da suinocultura”, ressalta o Secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina, Ricardo Miotto.

A versão brasileira do vídeo “Seja um Produtor Campeão” se soma a uma série de ações executadas pela Secretaria da Agricultura e Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) para evitar o ingresso da peste suína no estado.

O vírus da PSA não é perigoso para a saúde humana, mas gera um grave impacto social e econômico, especialmente para as exportações de produtos de carne suína, para a renda das famílias rurais, bem como para a segurança alimentar.

Suinocultura em SC

Voltado para atender os mercados mais exigentes do mundo, a suinocultura é um dos principais motores da economia catarinense.Em 2021, o estado exportou 578,5 mil toneladas de carne suína com destino a 67 países.  No último ano, SC ampliou em 19% o faturamento com as vendas internacionais, fechando com US$ 1,4 bilhão em receitas.

Peste Suína Africana

A peste suína africana (PSA) é uma doença viral sem riscos à saúde humana, mas que pode dizimar criações de suínos. A doença é altamente transmissível, com elevadas taxas de mortalidade e morbidade e considerada pela OIE como uma das mais prejudiciais para o comércio internacional de produtos suínos.

Presente em mais de 50 países, a PSA está se disseminando pelo mundo. Entre os afetados estão República Dominicana e o Haiti – este é o primeiro registro da doença no continente americano desde a década de 80. A última ocorrência no Brasil foi registrada em 1981 e, desde 1984, o país é livre de peste suína africana.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.