SC regulamenta a produção de Linguiça Blumenau
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)

Imagem: Divulgação

TRADICIONAL

SC regulamenta a produção de Linguiça Blumenau

A intenção é obter a Identificação Geográfica e preservar a tradição catarinense
Por: -Eliza Maliszewski
244 acessos

A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina aprovou uma Norma Interna Regulamentadora que estabelece a identidade e requisitos mínimos de qualidade para produção de Linguiça Blumenau. A intenção é obter a Identificação Geográfica e preservar a tradição catarinense.

A Linguiça Blumenau é típica na mesa dos catarinenses e centenária. A portaria determina a identidade e os requisitos mínimos de qualidade para a produção do alimentícias, sendo considerada uma vitória para os produtores.

A regulamentação é necessária devido a características únicas da produção, que diferem de outros tipos de linguiça, principalmente com relação aos parâmetros físico-químicos (gordura, umidade e proteína). Para ser considerada Linguiça Blumenau é necessário utilizar, por exemplo, carne suína nobre de paleta, pernil, lombo e sobrepaleta moídos e 28% de gordura do toucinho lombar. Deve ser temperada somente com sal, pimenta branca e alho e deve ser embutida em tripa suína. A defumação deve ser natural, com serragem e brasa, a no máximo 50ºC por 36 horas. Também deve manter o formato de ferradura.

A linguiça recebe este nome porque foi trazida pelos imigrantes alemães para Blumenau mas hoje é fabricada em Pomerode, que se emancipou de Blumenau. "A grande vantagem dessa normatização é que ela resgata os aspectos tradicionais, valoriza a cultura do povo e da sua região e oferece segurança jurídica para as empresas que trabalham com esse tipo de produto. Também proporciona a agregação de valor. Os consumidores poderão conhecer e provar alimentos regionais, carregados da história de Santa Catarina", destaca o gestor do Departamento Estadual de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Cidasc, Jader Nones.

Os estabelecimentos terão o prazo de 120 dias para se adequarem à norma estadual.

 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink