Seab vê perda de R$ 1,5 bilhão com seca na agricultura


Agronegócio

Seab vê perda de R$ 1,5 bilhão com seca na agricultura

A estiagem de novembro e dezembro reduziu o potencial de produção em 2,55 milhões de toneladas de soja, milho e feijão, conforme os técnicos do Deral
Por:
894 acessos
A estiagem de novembro e dezembro reduziu o potencial de produção em 2,55 milhões de toneladas de soja, milho e feijão, conforme os técnicos do Deral


O La Niña já provocou perda de R$ 1,52 bilhão aos produtores de grãos do Paraná, conforme levantamento divulgado pelo Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado à Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab). Trata-se do primeiro levantamento de perdas da safra de verão 2011/12.


A estiagem de novembro e dezembro reduziu o potencial de produção em 2,55 milhões de toneladas de soja, milho e feijão, conforme os técnicos do Deral. Isso significa quebra de 11,5% na safra paranaense de grãos de verão, inicialmente estimada em 22,13 milhões de toneladas.


O setor privado vinha estimando a quebra entre 5% e 10%. Os números devem ser revistos nas próximas semanas e dependem das condições climáticas. As previsões são de menos chuva do que o necessário para a recuperação das lavouras de soja e milho, que começam a ser colhidas nos próximos dias. No caso do feijão, a colheita já atinge um terço das lavouras.


No caso da soja, a estimativa caiu de 14,15 milhões de toneladas para 12,73 milhões, com quebra de perto de 10%. Ou seja, 1,42 milhão de toneladas deixarão de ser produzidas, o equivalente a R$ 1 bilhão.

O impacto reduz a previsão para o milho de 7,4 milhões para 6,4 milhões de toneladas. A redução é maior do que a prevista para a soja, chegando a 14%, mas o valor é menor: R$ 379,7 milhões.

Para o feijão, estima-se que o pontecial produtivo tenha caído de 430,6 mil toneladas para 348 mil toneladas (19%). Além da seca, as temperaturas abaixo da média prejudicaram o cultivo. As 83 mil toneladas renderiam R$ 117,4 milhões considerando os preços atuais.


A quebra de safra deve-se à falta de chuvas, que foram reduzidas a um terço, conforme dados das estações meteorológicas de Toledo, Campo Mourão, Maringá, Londrina e Francisco Beltrão colhidos pelo Simepar.

Na última semana de dezembro, houve chuva em algumas regiões, mas os registros foram irregulares. Toledo recebeu 116 mm enquanto Palotina 9 mm. Os dois municípios ficam no Oeste do estado.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink