Seagri/BA organiza parceria de produtores baianos com grupo coreano

Agronegócio

Seagri/BA organiza parceria de produtores baianos com grupo coreano

Cooproeste pode ser a primeira entidade a celebrar acordo comercial com AT Korea Agro-Fisheries Trade Corporation
Por:
1623 acessos
A Cooperativa de Produtores do Oeste da Bahia, Cooproeste, que conta com cerca de 400 cooperados, produtores de milho, soja, café e algodão, pode ser a primeira entidade a celebrar acordo comercial com a estatal AT Korea Agro-Fisheries Trade Corporation, que está interessada em investir na Bahia, na área de alimentos e de logística. Executivos da estatal e de várias empresas da Coréia do Sul virão à Bahia no próximo mês de julho, em data que está sendo combinada, e terão um encontro com os produtores baianos, visando a formação de joints ventures. Este foi um dos temas da reunião que o secretário estadual da Agricultura, Eduardo Salles, e o superintendente de Atração de Investimentos da Seagri, Jairo Vaz, tiveram nesta quarta-feira,(1º), durante a Bahia Farm Show, com Antonio José Tarciso de Assunção, presidente da Cooproeste, e diretores da entidade.


A vinda dos executivos e empresários coreanos é fruto da visita de Eduardo Salles e Jairo Vaz à Seul, onde apresentaram, na semana passada, para mais de 50 empresários, representantes das maiores empresas daquele país, as oportunidades de negócios na Bahia. Salles e Vaz viajaram à convite do governo da Córeia do Sul, que inclusive custeou todas as despesas. Sétimo maior importador de grãos do mundo, a Coréia do Sul está com os olhos voltados para a Bahia diante da necessidade de importar alimentos e encontrar aqui produtos agropecuários com qualidade e regularidade.


“O importante é industrializar, verticalizar a produção para agregar valor e gerar emprego e renda”, disse o presidente da Cooproeste, que deverá apresentar aos coreanos um plano de investimentos detalhado. Um dos pontos a ser debatido com os empresários coreanos será a implantação de uma torrefação, segundo disse o produtor. Com relação ao café produzido no Oeste, o secretário Eduardo Salles disse que “aqui tem agricultura irrigada, que garante a regularidade de entrega e a qualidade dos produtos, e isso é muito importante para eles”.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink