Secas e geadas vão reduzir em 17% safra de trigo no Paraná

Agronegócio

Secas e geadas vão reduzir em 17% safra de trigo no Paraná

A estima de safra do cereal é de 1,71 milhão de toneladas, queda de 350 mil toneladas
Por:
34 acessos

Reuters - A safra de trigo do Paraná, o principal produtor brasileiro do cereal, foi reduzida em 350 mil toneladas, para 1,71 milhão de toneladas, em função de problemas com seca e geadas, informou nesta quinta-feira o Deral (Departamento de Economia Rural), do governo do Estado. A estimativa representa uma queda de 17 por cento em relação à previsão do mês passado, quando o Deral projetava uma safra de 2,06 milhões de toneladas.

Na safra passada, também atingida por seca e geadas, o Estado sofreu perdas ainda maiores, colhendo apenas 1,2 milhão de toneladas. "A seca atingiu mais o norte, e as geadas pegaram mais o oeste e o sudoeste", afirmou o agrônomo do Deral Otmar Hubner, por telefone. Após a quebra de safra no ano passado, o Brasil, que importa a maior parte de suas necessidades, voltou a figurar como o maior importador mundial de trigo.

As lavouras do Paraná, antes das geadas do final da semana passada, sofreram com um período de seca que se prolongou por até 50 dias em algumas regiões. Depois desse período, a chuva chegou ao Estado com boa intensidade, até recuperando muitas plantações, mas a umidade foi seguida pelo frio intenso, que atingiu principalmente áreas importantes, como Toledo, Campo Mourão e Cascavel, onde o trigo estava em fases suscetíveis a geadas.

O agrônomo ponderou, no entanto, que a avaliação das perdas pelas geadas foi feita três dias depois da adversidade climática, e que os prejuízos, na estimativa do mês que vem, "tanto podem aumentar como ser reduzidos". "É uma estimativa preliminar, pode mudar", declarou Hubner, lembrando que é difícil avaliar perdas de geadas, que aparecem mais claramente semanas após o fenômeno. A seca também impediu que muitos produtores de trigo terminassem de realizar a semeadura.

O plantio do Estado, finalizado recentemente, ocupou uma área de 814 mil hectares em 2007, contra mais de 900 mil hectares previstos inicialmente. Assim, a área plantada em 2007 é uma das menores registradas no Paraná, inferior à de 2000, quando o Estado semeou 830 mil hectares essa área era a menor dos últimos anos. O Paraná costumava plantar mais de 1 milhão de hectares, mas neste ano o milho segunda safra (safrinha) avançou em áreas tradicionais de trigo, em função da maior liquidez para comercializar esse cereal.

A seca também reduziu levemente a estimativa de produção da safrinha de milho, para 4,98 milhões de toneladas, ante 5,16 milhões de toneladas previstas em julho.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink