Segunda vermifugação em bovinos deve ser feita em agosto

Agronegócio

Segunda vermifugação em bovinos deve ser feita em agosto

Recomendação vale para o Controle Estratégico de Verminoses 5-8-11 Zoetis, com resultados até 30% superiores em arrobas.
Por:
411 acessos

A chegada do mês de agosto marca o período  para aplicação da segunda dose de antiparasitários em bovinos. Consideradas entre as grandes vilãs da produtividade nas fazendas, as verminoses evoluem silenciosamente no inverno. A incidência dos vermes nos animais neste período causa retardo no crescimento, queda nos resultados da propriedade e diminuição da atividade reprodutiva do rebanho.

O Controle Estratégico 5-8-11 da Zoetis combate as verminoses atuantes no inverno, para resultados consistentemente melhores ao final do ciclo. Dentro das pesquisas que levaram a essa solução, o Cydectin foi selecionado para esta segunda vermifugação graças a sua alta eficácia e molécula única, de grande eficácia na eliminação dos parasitos. O produto é um endectocida de última geração, potente contra parasitos resistentes às tradicionais ivermectinas, inclusive as de alta concentração.

Estudos técnicos comprovaram o potencial do Cydectin. “Pesquisas realizadas em 25 fazendas do Estado de São Paulo mostraram que o produto apresentou eficácia superior a 90% em todas elas, enquanto que outro produto à base de Ivermectina 1% apesentou resultado semelhante em somente duas propriedades. Além desses resultados, temos trabalhos recentes demonstrando melhor eficácia no controle dos parasitos internos inclusive contra a Ivermectina de alta concentração”, afirma Pablo Paiva, Gerente de Produto da Linha de Antiparasitários e Vacinas Clostridiais para a Unidade de Negócios Bovinos da Zoetis.

O Controle Estratégico de Verminoses 5-8-11 preconiza a vermifugação do rebanho nos meses de maio, agosto e novembro – daí a referência a 5-8-11, que correspondem aos meses de aplicação dos antiparasitários. O objetivo é preventivo, a fim de proteger o rebanho e manter a população de vermes em nível baixo para maximização da produção e do bem-estar dos animais.

“A meta é manter os animais protegidos neste momento que a população de parasitas predomina. O método foi desenvolvido com base em evidências científicas, o que garante maior eficácia da terapia antiparasitária e melhor produtividade para a fazenda”, comenta Pablo.

Desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), o Controle 5-8-11 Zoetis tem como objetivo melhorar o controle dos parasitos internos, aliando produtividade, facilidade de manejo e bem-estar animal.

Quando o problema é controlado adequadamente, o produtor pode obter uma diferença de @/ha que pode chegar a mais de 30% se comparado ao manejo tradicional. “Esses parasitos podem levar ao atraso no crescimento, afetando o desempenho e até mesmo acarretando na perda de peso, além de aumentar a predisposição a outras doenças”, finaliza Pablo. “Um produtor adepto do Controle 5-8-11 pode dormir tranquilo com a segurança de proteger seu rebanho destes problemas e atingir máxima produtividade, tudo isso com facilidade de manejo, pois as etapas de maio e novembro coincidem com a vacinação de aftosa”.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink