Sem-terra acampam em cidade do Nortão e Sesp reforça segurança para evitar conflito

Agronegócio

Sem-terra acampam em cidade do Nortão e Sesp reforça segurança para evitar conflito

A líder do movimento informou às forças de segurança que outras 400 famílias são esperadas
Por:
565 acessos

A líder do movimento informou às forças de segurança que outras 400 famílias são esperadas

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) reforçou o efetivo de policiais civis e militares na região da cidade de Itanhangá (241 quilômetros de Sinop). A intenção é evitar um conflito entre famílias de sem-terra e a população local. No total, a Sesp já enviou à região mais de 50 policiais das unidades de Sorriso, Lucas do Rio Verde e Tapurah para isolar a área em que cerca de 100 famílias estão acampadas. A Força Tática também foi mobilizada para acompanhar o caso. Na última madrugada, cerca de 100 famílias ocuparam um sítio localizado às margens da rodovia MT-338, distante cerca de três quilômetros da cidade.

A líder do movimento, identificada como Zilma Paqualle, informou às forças de segurança que outras 400 famílias são esperadas para ocupar terras na região e que aguardam uma negociação com um representante do Incra, já que a área é federal. A Polícia Militar de Itanhangá foi acionada pela manhã depois de um desentendimento entre as famílias que chegaram para a invasão e moradores da região.

Com o clima de tensão, a Secretaria de Segurança reforçou o efetivo para evitar o confronto entre as duas partes enquanto aguarda a negociação por parte de representantes do Governo Federal. “Nossa maior intenção é conter um eventual confronto entre a população local e invasores. Já mandamos efetivos de outras cidades para a região como forma de prevenção na cidade e nas estradas de acesso”, explicou o secretário de Estado de Segurança Pública Rogers Jarbas. Outra medida adotada pela Sesp foi acionar o Ministério Público Federal e o Incra sobre a situação na cidade. “Já estamos em contato com um representante do Incra, pois o assentamento se trata de uma área federal. Também mantive contato com o Ministério Público Federal e repassei a situação à procuradora da República plantonista. Todas as medidas de segurança pública já foram adotadas. Estamos nos antecipando para evitar qualquer confronto na região”, completou o secretário. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink