Semente de qualidade é desafio permanente para a agricultura

Agronegócio

Semente de qualidade é desafio permanente para a agricultura

Congresso Brasileiro de Sementes, que será realizado em Curitiba entre 31 de agosto e 3 de setembro, pretende envolver todos os segmentos da cadeia
Por:
1056 acessos

Pode não parecer, mas a semente que o agricultor planta é muito diferente do grão que ele colhe. Para ser comercializada no mercado, uma semente passa por rigorosos testes de controle de qualidade, que vão assegurar características essenciais para o estabelecimento de uma boa lavoura, como a força e o vigor da germinação, a pureza do material genético de determinado lote, a não infecção por patógenos, entre outras características. Isso é possível porque, ao longo das últimas décadas, muitas pesquisas científicas têm gerado inovações que garantem maior chance de sucesso para as plantas que crescem nas lavouras brasileiras.

Todos os segmentos envolvidos na produção, análise e tecnologia de sementes e mudas estarão reunidos de 31 de agosto a 3 de setembro, em Curitiba, para a realização do 16º Congresso Brasileiro de Sementes, evento promovido pela Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes (Abrates). Com o tema ''Qualidade: desafio permanente'', o evento pretende reunir cerca de 1,2 mil participantes para discutir os principais desafios e avanços da área. ''É uma importante oportunidade para o intercâmbio científico e para a atualização profissional, pois procuramos desenvolver uma programação que engloba um panorama atual dos principais temas e discussões do setor'', explica o pesquisador Francisco Krzyzanowski, presidente da comissão organizadora do evento e pesquisador da Embrapa Soja.

Aprimorar a qualidade das sementes comercializadas é um desafio que envolve todo o segmento de sementes, um setor que movimentou cerca de R$ 8 bilhões na safra 2007/08, segundo dados da Associação Brasileira dos Produtores de Sementes (Abrasem). A evolução desse processo histórico será debatida no primeiro dia de palestras do Congresso. ''A semente plantada é muito mais do que um grão. É como se existisse um chip dentro dela que permite conhecer exatamente cada característica da planta que ela dará origem'', explica José de Barros França Neto, pesquisador da Embrapa Soja, que ministra a palestra de abertura do evento.

De acordo com o pesquisador, ''a evolução do conceito de qualidade de sementes foi extraordinária nos últimos 30 a 35 anos. E isso correu em todos os atributos de qualidade de sementes - qualidade fisiológica, física, sanitária e genética. Novas tecnologias foram geradas pela pesquisa e adotadas pelo setor produtivo, o que tem resultado na produção e comercialização de sementes de qualidade muito superior às que eram comercializadas há alguns anos. E isso tem se refletido na obtenção de melhores produtividades pelo produtor''.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink