Seminário discute desenvolvimento da cafeicultura em Plácido de Castro

Cafeicultura

Seminário discute desenvolvimento da cafeicultura em Plácido de Castro

Evento visa apresentar os resultados do zoneamento para indicação de áreas com aptidão para a produção de café
Por:
76 acessos

Produtores familiares, técnicos da extensão rural, gestores de torrefadoras, representantes de instituições ligadas ao setor produtivo e agentes de fomento participam, nesta sexta-feira, 29 de março, do Seminário “Cadeia produtiva do café”, em Plácido de Castro. Realizado pela Embrapa Acre, em parceria com a prefeitura local, o evento visa apresentar os resultados do zoneamento para indicação de áreas com aptidão para a produção de café e debater alternativas para desenvolver a cultura no município. As atividades iniciam às 8h da manhã.

A programação contempla palestras sobre o potencial do clima e solo de Plácido de Castro para o cultivo de café, aspectos econômicos da cultura, programa municipal para incremento da produção familiar, linhas de financiamento para implantação de lavouras no município e demandas do mercado do café no Acre. Os participantes também poderão conhecer relatos de agricultores locais sobre o cultivo de café clonal e a publicação “Zoneamento edafoclimático para o cultivo de café canéfora (Coffea canephora) no Acre” que será lançada durante o evento.

De acordo com Dorila Mota, analista da área de Transferência de Tecnologias da Embrapa e coordenadora do Seminário, além de compartilhar conhecimentos sobre as áreas indicadas para a cultura, o objetivo é identificar experiências promissoras com a produção de café e estratégias para comercialização. “Convidamos diferentes atores dessa cadeia produtiva com a finalidade de promover uma aproximação entre instâncias que apoiam a cultura, quem produz e quem comercializa a produção. Essa união entre os distintos elos da cadeia é fundamental para desenvolver a cafeicultura”, diz.

Segundo o secretário municipal de agricultura de Plácido de Castro, Rui Braga de Pinho, em função das características da região, favoráveis ao cultivo, a cafeicultura também poderá contribuir para desenvolver a economia dos municípios acreanos e melhorar a vida tanto de quem mora na cidade como no meio rural. “Não temos indústria nem produção em larga escala no município, mas podemos unir forças para ampliar os cultivos, aumentar a produção e fortalecer a cultura. Junto com outras instituições, estamos trabalhando para isso, apoiando os agricultores que já plantam café, com assistência técnica na condução das lavouras, e incentivando outros produtores a investirem nessa atividade produtiva”, afirma o gestor.

Zoneamento

Os estudos para identificar o potencial do município de Plácido de Castro para a cultura do café fazem parte das ações de um Termo de Execução Descentralizada (TED), firmado entre a Embrapa e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em 2018. O trabalho de zoneamento também contempla os municípios de Feijó, Tarauacá e Capixaba, com foco no cultivo de banana, abacaxi e seringueira. O objetivo é gerar informações que sirvam como subsídios técnicos para a tomada de decisão nessas culturas, por parte dos produtores rurais e agentes públicos e financeiros.

Foram elaborados mapas temáticos para três tipos de sistemas de manejo de cafezais: o primitivo, onde os cultivos são conduzidos sem uso de insumos; o sistema tradicional, com uso mínimo de insumos, priorizando a adubação orgânica e outras práticas de baixo impacto; e o sistema avançado, baseado no uso de irrigação, adubação e calagem entre outras técnicas recomendadas para a cultura. Além de mapear as áreas rurais do município, disponíveis para a agricultura, os pesquisadores avaliaram os solos de 100 propriedades rurais que estão implantando cultivos de café, com o apoio da prefeitura.

“Analisamos as amostras de solo quanto ao nível de fertilidade, necessidade de adubação para corrigir deficiências de nutrientes para melhorar a qualidade e outros aspectos como profundidade, capacidade de drenagem e tipos de relevo. Além disso, avaliamos o clima do município, considerando o regime de chuvas, a temperatura, e período de seca na região. A partir desse trabalho, selecionamos as áreas com maior aptidão para o cultivo de café”, explica o pesquisador Eufran Amaral, Chefe-geral da Embrapa Acre e coordenador dos estudos.

Áreas para cultivo

Uma das conclusões dos pesquisadores é que 90% dos solos de Plácido de Castro apresentam boas condições para o cultivo de café, por serem planos e mais profundos, aspecto que permite mecanização. Entretanto, boa parte das áreas recomendadas exige cultivo irrigado, em virtude da baixa ocorrência de chuvas nos meses de junho a setembro, período que coincide com a época de formação das flores do cafeeiro, situação que pode prejudicar o desenvolvimento da produção. “O município tem um excelente potencial para a cultura do café e as restrições hídricas podem ser superadas com a adoção de tecnologias disponíveis. Acredito muito na cafeicultura como alternativa de trabalho e renda para as famílias rurais do Acre e como fator de fixação do homem no campo”, destaca Amaral.

Esses e outros resultados serão discutidos durante o Seminário e poderão orientar as ações do programa municipal para incremento da cafeicultura no município de Plácido de castro, incluindo a realização de análises de solos de novas áreas, de agricultores familiares que tenham interesse em trabalhar com a produção de café, atividade que será realizada em parceria com a Embrapa.  O evento tem o apoio da Secretaria estadual de Produção e Agronegócio (Sepa), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Café Contri e Prefeitura de Acrelândia.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink