Senar Minas capacita mais de 400 na Semana do Fazendeiro

Agronegócio

Senar Minas capacita mais de 400 na Semana do Fazendeiro

Mais de quatrocentos participantes da Semana do Fazendeiro, em Viçosa, estão inscritos nos 38 cursos e workshops oferecidos pelo Senar Minas este ano.
Por:
264 acessos

Mais de quatrocentos participantes da Semana do Fazendeiro, em Viçosa, estão inscritos nos 38 cursos e workshops oferecidos pelo Senar Minas este ano. As novidades desta edição da Semana é que a instituição lançou cursos de cafés especiais para mostrar ao homem do campo o diferencial deste tipo de produto.

No evento, o Sistema Faemg também conta com um estande onde ocorrem abordagem a produtores e mulheres rurais, cadastramento da Educação a Distância e atendimento da equipe do Café+Forte. No local estão expostos variedades de peixes da Associação dos Aquicultores de Patrocínio do Muriaé e Barão do Monte Alto e flores da Associação dos Produtores de Plantas Ornamentais e Exóticas de Manhuaçu.

A Semana do Fazendeiro é realizada há 87 anos pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Com o tema "Desenvolvimento em tempos de crise: participação, cooperação e solidariedade", o evento segue até este sábado (23). Na abertura da programação, o Senar Minas foi agraciado com uma placa em reconhecimento à “parceria de sucesso, indispensável na realização da 87ª Semana do Fazendeiro da Universidade Federal de Viçosa”. O superintendente do Senar Minas, Antônio do Carmo Neves, recebeu a homenagem da reitora Nilda de Fátima Ferreira Soares.

Sucesso de público

A procura pelos cursos do Senar superou as expectativas, especialmente os de Café Especial e Doce de Leite, que fecharam as turmas rapidamente. “A ideia de oferecer os cursos de cafés especiais surgiu para o produtor entender melhor o mercado e o diferencial do produto para obter ganhos maiores. Quanto aos de Doce de Leite, nós dividimos nosso curso em treinamentos menores com assuntos distintos. O que chama a atenção é que nossos cursos são práticos. Na primeira semana de inscrição, fechamos todas as turmas”, destacou a gerente regional do Senar Minas em Viçosa, Silvana Novais.

De acordo com a instrutora dos cursos de Derivados do Leite Aline Machado, o curso de produção artesanal de doce de leite ensina a incluir ingredientes, como chocolate, ameixa e cappuccino, que valorizam o produto. Segundo ela, o doce de leite é o produto que mais tem rendimento nos lares e não demanda muita quantidade de leite.

“Adicionar sabores agrega valor ao produto e é benéfico para quem quiser fazer disso uma renda. E quando falo que não se mexe o doce, sempre é um grande sucesso. A partir do momento que você não tem o trabalho de ficar mexendo e dá a possibilidade de fazer outra atividade concomitante, criamos a chance da mulher fazer duas atividades ao mesmo tempo”.

A engenheira Rita Nakao foi uma das participantes do curso. Ela tem uma propriedade em Barbacena, no Campo das Vertentes, onde há plantação de eucalipto e oliveiras. Todo ano ele e o marido levam os funcionários para a Semana do Fazendeiro para participar dos cursos. “Conhecimento a gente tem que adquirir e isso pode ser aplicado na nossa propriedade. Quando voltamos, nós nos tornamos agentes multiplicadores, esse também é um dos nossos objetivos”, contou.

Outro dos 38 cursos do Senar Minas foi o de Produção de Móveis com Bambu, oferecido pela primeira vez. O artesão e professor de inglês Sérgio Mendonça da Cunha, de Teixeiras, na Zona da Mata, já trabalha com artesanato com taboa há cerca de oito anos, uma “herança de família”, e decidiu experimentar as técnicas com o bambu. “A diferença é que o preparo do bambu é mais demorado. Já no caso da taboa, o acabamento é que demanda mais tempo”, avalia.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink