Agronegócio

Senar Minas capacita mais de 400 na Semana do Fazendeiro

Mais de quatrocentos participantes da Semana do Fazendeiro, em Viçosa, estão inscritos nos 38 cursos e workshops oferecidos pelo Senar Minas este ano.
Por:
264 acessos

Mais de quatrocentos participantes da Semana do Fazendeiro, em Viçosa, estão inscritos nos 38 cursos e workshops oferecidos pelo Senar Minas este ano. As novidades desta edição da Semana é que a instituição lançou cursos de cafés especiais para mostrar ao homem do campo o diferencial deste tipo de produto.

No evento, o Sistema Faemg também conta com um estande onde ocorrem abordagem a produtores e mulheres rurais, cadastramento da Educação a Distância e atendimento da equipe do Café+Forte. No local estão expostos variedades de peixes da Associação dos Aquicultores de Patrocínio do Muriaé e Barão do Monte Alto e flores da Associação dos Produtores de Plantas Ornamentais e Exóticas de Manhuaçu.

A Semana do Fazendeiro é realizada há 87 anos pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Com o tema "Desenvolvimento em tempos de crise: participação, cooperação e solidariedade", o evento segue até este sábado (23). Na abertura da programação, o Senar Minas foi agraciado com uma placa em reconhecimento à “parceria de sucesso, indispensável na realização da 87ª Semana do Fazendeiro da Universidade Federal de Viçosa”. O superintendente do Senar Minas, Antônio do Carmo Neves, recebeu a homenagem da reitora Nilda de Fátima Ferreira Soares.

Sucesso de público

A procura pelos cursos do Senar superou as expectativas, especialmente os de Café Especial e Doce de Leite, que fecharam as turmas rapidamente. “A ideia de oferecer os cursos de cafés especiais surgiu para o produtor entender melhor o mercado e o diferencial do produto para obter ganhos maiores. Quanto aos de Doce de Leite, nós dividimos nosso curso em treinamentos menores com assuntos distintos. O que chama a atenção é que nossos cursos são práticos. Na primeira semana de inscrição, fechamos todas as turmas”, destacou a gerente regional do Senar Minas em Viçosa, Silvana Novais.

De acordo com a instrutora dos cursos de Derivados do Leite Aline Machado, o curso de produção artesanal de doce de leite ensina a incluir ingredientes, como chocolate, ameixa e cappuccino, que valorizam o produto. Segundo ela, o doce de leite é o produto que mais tem rendimento nos lares e não demanda muita quantidade de leite.

“Adicionar sabores agrega valor ao produto e é benéfico para quem quiser fazer disso uma renda. E quando falo que não se mexe o doce, sempre é um grande sucesso. A partir do momento que você não tem o trabalho de ficar mexendo e dá a possibilidade de fazer outra atividade concomitante, criamos a chance da mulher fazer duas atividades ao mesmo tempo”.

A engenheira Rita Nakao foi uma das participantes do curso. Ela tem uma propriedade em Barbacena, no Campo das Vertentes, onde há plantação de eucalipto e oliveiras. Todo ano ele e o marido levam os funcionários para a Semana do Fazendeiro para participar dos cursos. “Conhecimento a gente tem que adquirir e isso pode ser aplicado na nossa propriedade. Quando voltamos, nós nos tornamos agentes multiplicadores, esse também é um dos nossos objetivos”, contou.

Outro dos 38 cursos do Senar Minas foi o de Produção de Móveis com Bambu, oferecido pela primeira vez. O artesão e professor de inglês Sérgio Mendonça da Cunha, de Teixeiras, na Zona da Mata, já trabalha com artesanato com taboa há cerca de oito anos, uma “herança de família”, e decidiu experimentar as técnicas com o bambu. “A diferença é que o preparo do bambu é mais demorado. Já no caso da taboa, o acabamento é que demanda mais tempo”, avalia.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink