Sergipe obtém crescimento de quase 50% na produção de arroz
CI
Agronegócio

Sergipe obtém crescimento de quase 50% na produção de arroz

Para a safra 2011/2012, a expectativa também é positiva
Por:
Item obrigatório na alimentação do brasileiro, o arroz vem conquistando espaço na cadeia produtiva agrícola de Sergipe. Entre 2000 e 2010, a produção de arroz no estado cresceu quase 50%, saltando de 32.819 toneladas para 48.601 toneladas, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse desempenho é decorrente da política rural aplicada pelo Governo de Sergipe, com investimentos na agricultura familiar, no beneficiamento de sementes e na capacitação e assistência técnica do produtor.

Para a safra 2011/2012, a expectativa também é positiva, haja vista o investimento de R$ 350 mil, por parte da Secretaria de Estado de Agricultura e de Desenvolvimento Rural (Seagri), na compra e distribuição de 300 toneladas de sementes de arroz fiscalizadas e de excelente potencial genético para 700 produtores. A rizicultura é desenvolvida nos perímetros irrigados de Betume, Cotinguiba/Pindoba e Propriá, região do Baixo São Francisco, que abrange os municípios de Brejo Grande, Ilha das Flores, Neópolis e Propriá, em uma área de seis mil hectares.

Cultura de verão, o arroz já começou a ser colhido nos perímetros. “Iniciamos a colheita acreditando que esta safra será ainda melhor que a safra do ano passado. Com a distribuição de sementes selecionadas, nossa produção cresceu”, disse o agricultor José Carlos da Hora.

“O arroz que estamos colhendo é um arroz sadio. Com as sementes doadas pelo Governo, a produção cresceu muito. Estamos vivendo outro momento na cultura de arroz”, contou o produtor Francisco Hora.

Implantado na primeira gestão do governador Marcelo Déda, o programa de Distribuição de Sementes é voltado para o pequeno produtor e visa fortalecer a agricultura familiar. Em 2010, a Seagri distribuiu 210 toneladas de sementes de arroz. Já em 2011, a quantidade subiu para 300. O secretário de Estado de Agricultura e de Desenvolvimento Rural, José Sobral, explicou que as sementes são adquiridas via pregão eletrônico.

“O projeto de doação de sementes de arroz foi iniciado no primeiro governo Marcelo Déda. Distribuímos uma semente de excelente qualidade, que produz um arroz homogêneo, classificado como tipo 1 e que possui uma produtividade excepcional, com rendimento de nove toneladas por hectare. O programa é voltado para o produtor que se encaixa como agricultor familiar e para receber as sementes, basta preencher o cadastro junto à Seagri”, informou Sobral.

Sobral destacou os avanços sociais da região após a implantação do Projeto. “Esse projeto interfere na região que possui o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado de Sergipe. É uma política pública exitosa, que vem transformando a vida do agricultor daquela região. Com uma semente de qualidade, a produção é melhor, o produto tem uma maior qualidade, consequentemente o preço de venda do arroz é maior, o que aumenta a renda do agricultor”, explicou.

Outra medida importante na consolidação da agricultura familiar como segmento de mercado - e não mais como atividade de subsistência - é a parceria entre o Governo de Sergipe e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Por meio dessa, a Conab compra a produção familiar a preços adequados, de forma descomplicada e sem intermediários. O produto é processado e disponibilizado para uso em merenda escolar ou estoques reguladores do Governo. Ano passado, a Companhia adquiriu 12 mil toneladas de arroz com cascas dos produtores do Baixo São Francisco.

O arroz que começou a ser colhido no interior sergipano será vendido à Conab por R$ 215 o alqueire (480 quilos do cereal), podendo chegar a R$ 232. “Em 2011, o arroz foi vendido a R$ 150. Hoje, as indústrias estão comprando por R$ 220, respeitando o preço mínimo da Conab que é de R$ 215. Ou seja, houve um aumento significativo no preço do arroz, e claro, na renda do produtor. A presença da Conab é importante para garantir o preço mínimo e está mudando a realidade dos produtores da região, já que garante estabilidade ao produtor. Esse, por sua vez, passa a investir mais na produção, passa a procurar assistência técnica junto à Secretaria e à Emdagro para melhorar a produtividade da terra. Consolidando a cultura do arroz, a ideia do Governo é diversificar a produção”, disse o secretário.

Para participar da venda direta com a Conab, o agricultor precisa da Declaração de Aptidão do Produtor (DAP). O documento é emitido por meio de cadastro junto à Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro).

Conab

A Companhia Nacional do Abastecimento é uma empresa pública, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Criada em 1990, a empresa gerencia as políticas agrícolas e de abastecimento, visando assegurar o atendimento das necessidades básicas da sociedade, preservando e estimulando os mecanismos de mercado, tendo como um dos objetivos o planejamento e execução da Política de Garantia de Preços Mínimos do Governo Federal.

Na semana passada, a Conab iniciou a compra da safra 2011/2012 de arroz na região do Baixo São Francisco. Foram adquiridos 15 mil quilos do grão, gerando uma receita de R$ 8 mil para o rizicultor.

Na ocasião, o representante da Conab em Sergipe, Manoel Meneses de Jesus, informou que o Mapa liberou R$ 10 milhões para a compra de arroz sergipano. Esse valor garante a compra de 1.500 toneladas do produto.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.