Setor de defensivos agrícolas recolhe 95% das embalagens que produz

Agronegócio

Setor de defensivos agrícolas recolhe 95% das embalagens que produz

Revendas de insumos agrícolas têm participação fundamental no processo
Por:
1929 acessos
Revendas de insumos agrícolas têm participação fundamental no processo

O Brasil é uma referência mundial em reciclagem de embalagens na área agrícola. Cerca de 95% delas retornam para as fabricantes. Para atingir um índice tão alto de devolução é essencial a organização e obstinação de toda a cadeia produtiva do agronegócio. A lei federal 7802 de 1989 obriga o agricultor a devolver as embalagens, triplamente lavadas, no local indicado na nota fiscal de compra do produto. À indústria, cabe recolher as embalagens e dar-lhe a correta destinação, seja reutilizando ou incinerando as embalagens. Porém, sem o efetivo engajamento dos distribuidores de insumos não haveria como a indústria recolher todas as embalagens, pois é impraticável chegar a todas as propriedades rurais do país para realizar a coleta.

Por este motivo, a mesma lei federal previu a criação de Unidades de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos para armazenamento das embalagens devolvidas, cuja responsabilidade é dos canais de distribuição, ou revendas. Para facilitar a implantação e reduzir os custos, foram criadas associações locais que reúnem diversos distribuidores de cada região, responsáveis por manter e gerenciar estas unidades. Logo após aprovada a lei, a Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, ANDAV, participou da implantação de Unidades e esteve presente em diversos estados, realizando palestras junto às fiscalizações Estaduais e contribuindo para a regulamentação ambiental. Este subsídio foi essencial para a viabilidade da lei.
 
 Para João Rando, Presidente do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, inPEV, órgão da indústria que administra os recolhimentos, o sistema de destinação é referência graças à junção de esforços da cadeia. “Destaco bastante o papel que a ANDAV teve de estar sempre presente e participando das discussões, implantação do sistema e, desde o primeiro momento, se engajando em todo esse processo, junto com as demais entidades. Ela contribuiu muito para que o nosso sistema de reciclagem chegasse ao ponto que está hoje, de liderar esse processo, não só dentro do país, como fora também, e não só dentro do setor agropecuário, afinal a destinação de embalagens vazias é uma referência para outros setores”, conclui. Hoje o sistema é exemplo para o mundo todo, permitindo ao agricultor devolver suas embalagens sem grandes deslocamentos. Existem 450 unidades de recebimento que acolhem 28 mil toneladas de embalagens vazias por ano.

As informações são da assessoria de imprensa da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (ANDAV).
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink