Setor de frutas no Brasil pode crescer mais

Agronegócio

Setor de frutas no Brasil pode crescer mais

País ganha novo impulso para multiplicar e diversificar os negócios no setor, com a realização da primeira edição da FRUIT & LOG
Por: -Janice
350 acessos
Os brasileiros podem se orgulhar da fartura, qualidade, quantidade e variedade de frutas que chegam às suas mesas. No ranking de produção mundial de frutas, o País, com suas 43 milhões de toneladas produzidas, anualmente, cultiva frutas tropicais, subtropicais e temperadas ao longo de todo o ano, e ainda ostenta um terceiro lugar, atrás da China (175 milhões de toneladas) e da Índia (57 milhões de toneladas).

Mas nem só desses números vive o setor. Para tornar possível a geração de negócios que envolve toda a cadeia produtiva, transpor as etapas consecutivas à produção, ao longo das quais os diversos insumos são utilizados, até a constituição de um produto final e sua colocação no mercado, é preciso gerar negócios e manter essa engrenagem comercial em movimento.

Uma lacuna desse processo está sendo preenchida com a realização da Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística - FRUIT & LOG. Inédito, o evento foi concebido com a missão de atrair a atenção de produtores, processadores, exportadores, distribuidores e importadores de todas as partes do mundo, apresentar tecnologias de última geração de processamento, além de oferecer serviços essenciais para o comércio, importação e exportação de produtos, aprimorar os mecanismos de transporte e promover uma ampla rede de negócios no setor de frutas, legumes e verduras.

A primeira edição da FRUIT & LOG acontece de 8 a 10 de setembro, no Expo Center Norte-SP, e é fruto da iniciativa conjunta da Francal Feiras, uma das mais importantes promotoras de negócios do País, e do Instituto Brasileiro de Frutas – Ibraf, entidade representativa do setor.

Mercado Interno e Externo

Do total produzido no País, 20 milhões de toneladas de frutas são destinadas ao consumo in natura, distribuídas entre os mercados interno e externo. Maurício de Sá Ferraz, gerente da Central de Serviços de Exportação do Ibraf, afirma que “para o produtor de fruta in natura, o melhor mercado é o interno, que tem o consumidor mais próximo do centro de produção, seus hábitos de consumo são conhecidos, bem como está familiarizado com as frutas produzidas no Brasil”. Ele acrescenta que, “no entanto, preços atrativos e produtos de qualidade nas gôndulas do varejo são considerados fatores decisivos para o aumento do consumo de frutas da população”.

Dos 23 milhões de toneladas de frutas aplicadas no processamento, 12 milhões são exportadas, ou seja, 55% da produção tem como destino o mercado internacional.

E das 43 milhões de toneladas de frutas produzidas no país, cerca de 30% destinam-se ao mercado internacional. Desse volume, 18 milhões de toneladas são de laranja, das quais 80% vão para as indústrias e geram mais de US$ 1,2 bilhão de exportação.

Outros números dão a dimensão de como a produção é distribuída no mercado: 97% da produção de caju são encaminhados ao beneficiamento para exportação de castanhas, com volumes exportados superiores a US$ 187 milhões; 80% dos cocos, maracujás e pêssegos são beneficiados; 50% de goiabas e uvas e mais de 20% dos abacaxis têm o mesmo destino, além das porcentagens menores de outras frutas que se somam aos 50% da produção nacional de frutas destinadas à indústria.

Da colheita ao manuseio, passando pelo transporte, armazenamento e exposição dos produtos no ponto de venda, cada uma dessas etapas influi na qualidade do produto para comercialização. Entre os serviços que compõem a grade de atrações paralelas da FRUIT & LOG está o Seminário Internacional, com módulos temáticos ministrados por especialistas, justamente para expor técnicas voltadas a logística, relações comerciais da produção ao varejo, tendências mundiais de mercado, experiências internacionais, estratégia comercial, desenvolvimento de novos produtos, entre outros tópicos.

“A difusão de técnicas e novas tecnologias será um dos pontos fortes desse grande encontro”, explica Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal Feiras. Segundo ele, “está entre as metas da feira contribuir para o aprimoramento da produção, apresentar tecnologias de última geração de processamento, oferecer serviços essenciais para o comércio, importação e exportação de produtos, aprimorar os mecanismos de transporte e gerar oportunidades de produção, negócios, logística e distribuição de toda a cadeia de frutas, legumes, verduras e seus derivados”.

“Estamos no caminho certo, com investimentos em modernas técnicas de produção, em infra-estrutura nas áreas de produção e nas rotas de escoamento das safras, com meios mais eficientes e baratos de transportes, fatores imprescindíveis para melhor remuneração da cadeia”, diz Moacyr Saraiva Fernandes, presidente do Ibraf. Mas reforça: “Foi detectada uma grande carência de um evento no setor de FLV, e estamos iniciando um novo marco na cadeia produtiva de frutas do País ao ousarmos estruturar um evento nacional para a América Latina e o restante do mundo, com alcance internacional, onde possamos nos reunir para fazer negócios.” As informações são da assessoria de imprensa do evento.

Serviço:

Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia Processamento e Logística - Fruit & Log
De 8 a 10 de setembro
Das 10h às 20h
Expo Center Norte - Pavilhão Amarelo
Rua Otto Baumgart, 1.000 - Vila Guilherme - São Paulo - SP

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink