Setor de máquinas do RS espera retomada este ano

Agronegócio

Setor de máquinas do RS espera retomada este ano

A previsão é que os negócios cresçam perto dos 15%, segundo o Simers
Por: -Redação
2 acessos

O ano de 2007 promete marcar a recuperação do setor de máquinas agrícolas. A previsão é que os negócios cresçam perto dos 15%, baseados na estabilidade do dólar e na elevação da cotação das commodities agrícolas. No entanto, as empresas aguardam pela redução dos juros que incidem sobre os financiamentos aos produtores, para que estes recuperem capacidade de endividamento. Como os juros de mercado têm caído, a intenção é cobrar taxas menores também do setor.

Outra vantagem é que, diferentemente de anos anteriores, o produtor deverá colher a safra de verão com o câmbio similar à época em que adquiriu insumos. Porém, serão necessários três anos de boas vendas para voltar aos patamares de antes da crise, que começou no segundo semestre de 2004, afirma o presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Estado (Simers), Cláudio Bier. No caso dos tratores, a recuperação começou no final de 2006, impulsionada pelo crescimento da produção de cana-de-açúcar e frutas cítricas. O índice de crescimento chegou a 8%, o que não é muito representativo, levando-se em conta que 2005 foi um ano ruim. Nas colheitadeiras, as indústrias amargam queda de 70% nos últimos três anos; e nos implementos, 50%. Este foi um ano horroroso. Pior que este não vai existir. Foi um ano ruim, em relação a dois que já tinham sido ruins, afirma.

O gerente nacional de vendas da John Deere, Rasso von Reininghaus, acredita em leve recuperação do setor em 2007 e projeta percentual entre 10% e 15%. Ele ressalta que o setor sai de um patamar muito baixo, ou seja, mesmo que haja crescimento será difícil retomar os níveis de 2002 e 2003. Em 2004, os produtores brasileiros adquiriram 6 mil colheitadeiras de grãos. Em 2006, foram vendidas cerca de mil unidades.

Mesmo que a recuperação no próximo ano não seja tão acentuada, os fabricantes pedem que os produtores programem suas compras. Vendemos 200 tratores por mês. Se tivermos demanda de 250, não teremos como atender, diz Reininghaus. A produção de colheitadeiras da John Deere está completamente vendida até abril de 2007. O diretor de marketing da Massey Ferguson, Fábio Piltcher, percebeu mudanças significativas no mercado já em dezembro passado. Por isso, aposta no começo da recuperação em 2007. A partir de 2008, a indústria de máquinas deve voltar a seus patamares históricos. "Vamos ver qual será o impacto, porque não atingirá igualmente toda a cadeia", afirma Piltcher.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink