Setor discute concentração dos frigoríficos na Expoagro
CI
Agronegócio

Setor discute concentração dos frigoríficos na Expoagro

Em Mato Grosso, 48% dos abates são de unidades de uma única empresa
Por:
Em Mato Grosso, 48% dos abates são de unidades de uma única empresa
 
Paralela a realização da 48ª Exposição Internacional, Agropecuária, Industrial e Comercial de Mato Grosso (Expoagro), a cadeia da pecuária de Mato Grosso irá discutir os efeitos e soluções para combater a concentração dos frigoríficos no estado. O 2º Movimento Nacional Contra Monopólio dos Frigoríficos está agendado para o dia 9 de julho. O primeiro encontro foi realizado, no mês passado, em Campo Grande com a participação de 1,5 mil produtores.

O presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Jorge Pires, explica que o assunto é um dos principais problemas do setor. Segundo ele, a intenção é também discutir a rentabilidade dos elos da cadeia. "A falta de competitividade está pressionando os preços para o pecuarista", acrescenta o diretor da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Mário Cândia. De acordo com Cândia, a situação é preocupante em algumas regiões do estado onde só há unidades de um único grupo frigorífico. "Dessa forma, os preços ficam abaixo do que está cotado em outros lugares".

Dados

Mato Grosso possui 39 frigoríficos habilitados com a inspeção federal. Destes, apenas 27 encontram-se em funcionamento, restando 12 habilitados, porém com as atividades paralisadas. Segundo informações da Acrimat, a capacidade de abate dos frigoríficos instalados no estado chega a 38.457 cabeças/dia, mas o número cai para 30.802 se considerar somente as unidades em operação, sendo que 48% deste volume é de propriedade de um único grupo frigorífico, o JBS.

Na Expoagro, que será palco para diversos assuntos ligados ao setor agropecuário, deve ser realizada entre os dias 05 e 15 de julho. Nos 11 dias de programação a estimativa é que sejam movimentados R$ 40 milhões entre negócios e leilões de animais. O volume é 20% abaixo do que foi realizado no evento passado, de R$ 50 milhões. No entanto, o número de animais expostos deverá ser maior, passando de 20 mil para 30 mil, sendo 1,1 mil argolas onde ficam o gado de elite, gado de corte e leite, equinos, ovinos, caprinos, caninos, etc.

"Estamos sempre caprichando na infraestrutura do evento", diz um dos coordenadores da Expoagro, Fábio Martins. Conforme ele, o público irá conferir shows regionais e nacionais, além do campeonato de montaria em touros. Neste ano, a previsão é que 300 mil pessoas participem do evento.

Impasse

A discussão entre o Sindicato Rural de Cuiabá e o governo do estado, para começar as obras no novo parque de exposição da cidade, não avançaram. A promessa de que a 47ª Expoagro seria a última realizada no Parque Jonas Pinheiro não foi cumprida. Assim como este ano, a previsão é que o evento também seja realizado no mesmo lugar na próxima edição. Pelo menos é o que acredita o presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Jorge Pires.

Segundo ele, o Sindicato irá fazer a sua parte que é sair do local onde deverá funcionar o Fan Park. "Esperamos que o governo cumpra com sua parte que é fornecer a estrutura básica para que a exposição seja realizada em outro endereço - que fica próximo a saída para o município de Santo Antônio do Leverger". Ele explica que o projeto da obra já está concluído.

Durante o lançamento oficial da 48ª Expoagro, o secretário de Agricultura, Carlos Milhomem, afirmou que as obras para Copa de 2014 estão atrasadas. "A burocracia tem sido um problema", explicou. Ele admitiu a necessidade da urgência de mudar o parque de endereço. "Os eventos que realizados todos os anos são maiores que a estrutura do atual local".

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink