Setor do tabaco busca inclusão no Reintegra
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,650 (0,50%)
| Dólar (compra) R$ 5,55 (0,74%)


Agronegócio

Setor do tabaco busca inclusão no Reintegra

Por meio do Reintegra, as empresas exportadoras poderão ter ressarcirdos até três por cento da receita decorrente da exportação
Por:
1092 acessos
Depois de um ano de dificuldades cambiais, a presidenta da República, Dilma Rousseff, sancionou decreto para dar fôlego aos setores exportadores em 2012. O decreto 7.633/2011 regulamenta o Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras - Reintegra, instituído pela Medida Provisória nº 540. Por meio do Reintegra, as empresas exportadoras poderão ter ressarcirdos até três por cento da receita decorrente da exportação de bens produzidos, em espécie ou por meio de compensação de débitos relativos a tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.


Assinado pelo Ministro da Fazenda, Guido Mantega, e pelo Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Damata Pimentel, o Reintegra será aplicado às exportações realizadas até 31 de dezembro de 2012. O tabaco, com 85% da produção exportada, não está na lista de produtos beneficiados. Diante deste cenário, o presidente do SindiTabaco (Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco), Iro Schünke, esteve em audiência com o prefeito em exercício de Santa Cruz do Sul, Luiz Augusto Costa a Campis, nesta terça-feira (10), para solicitar interferência política junto ao MDIC, buscando a inclusão do tabaco na lista dos bens manufaturados do decreto.


“Ficamos surpresos com a não inclusão do tabaco no Reintegra. Esta seria uma forma de minimizar os efeitos da taxa cambial e melhorar a competitividade do produto brasileiro no mercado internacional”, disse Schünke na oportunidade. Em 2011, o tabaco representou 1,15% das exportações brasileiras, totalizando 2,89 bilhões de dólares em divisas. “Atualmente, exportamos para mais de 100 países. Um setor com esta relevância econômica precisa ser incluído”, completou o executivo. A par da situação, Campis disse que tentará agendar encontro no MDIC com a maior brevidade possível para tratar do assunto.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink