Setor exportador de aves e suínos busca abertura junto aos BRICS
CI
Agronegócio

Setor exportador de aves e suínos busca abertura junto aos BRICS

Presidente busca desatar entraves
Por:

O presidente-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, participa hoje (14.07) de encontros com representações privadas e oficiais da China, Índia, Rússia e África do Sul, em programação que acontece durante a reunião dos Chefes de Estado da VI Cúpula dos BRICS, em Fortaleza (CE).

O presidente da ABPA buscará, juntamente com representantes do Ministério das Relações Exteriores, desatar entraves para a ampliação das exportações de carne suína e de aves do Brasil. Um dos desafios para o encontro é a agilização da habilitação de sete plantas frigoríficas de aves e uma de carne suína para a China.  De acordo com o presidente da ABPA, estas unidades produtivas já foram visitadas por missão em 2012, e agora aguardam autorização para os embarques.

Atualmente, 29 plantas de aves e seis de suínas estão habilitadas para embarcar produtos ao mercado chinês.  “Também queremos viabilizar novas missões para habilitação de outras plantas que já responderam a questionários de autoridades chinesas”, observa.

Com relação à África do Sul, o aumento da tarifação na carne de frango (de 27% para 82%) impactou negativamente nos embarques entre janeiro de maio deste ano (de 16% em volume e 51% em receita).  “Com o aumento das tarifas, os embarques para o mercado sul-africano se concentraram em carne mecanicamente separada, que tem menor valor agregado em relação ao frango inteiro e cortes. Queremos a readequação das tarifas aplicadas, permitindo um fluxo comercial maior e mais qualificado entre os dois países”, destaca Turra.

Existem ainda grandes entraves com relação à Índia e Rússia, explica o presidente da ABPA.  Sobre a Índia, embora aberta para embarques de carne de frango do Brasil, as tarifas de exportação aplicadas pelas autoridades locais – que chegam a 100%, no caso de cortes e processados – inviabilizam o comércio. 

“Para a Rússia, queremos solver problemas estruturais nos embarques de carne suína e de frango. A proposta da ABPA é pelo aprimoramento dos sistemas existentes, de tal forma que proporcionem maior autonomia às autoridades brasileiras quanto à indicação de plantas industriais que atendam os requisitos técnicos da União Aduaneira (bloco do qual a Rússia faz parte)”, ressalta.

A programação de encontros da VI Cúpula dos BRICS segue até amanhã na capital cearense.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink