Agronegócio

Setor privado bancou o custeio da safra 2006/07

Os financiamentos para custeio agrícola liberados pelo governo são irrisórios
Por: -Redação
1 acessos

O presidente do Sindicato Rural de Sinop (SRS), Antônio Galvan, disse que nesta safra os financiamentos para custeio agrícola liberados pelo governo são irrisórios. A grande maioria dos recursos foi financiada por empresas privadas que fornecem insumos para o setor agrícola. O prazo para quitação do custeio da soja junto às empresas é 30 de março. Galvan sublinha que 70% da produção estão comprometidos com o pagamento do custeio agrícola. Com isso, os agricultores deverão acumular as dívidas passadas com instituições financeiras.

Segundo o SRS, a solução seria a securitização dessas dívidas para pagamento em longo prazo e carência de até três anos. “Esta é a única maneira de o produtor voltar a ter renda e capital de giro, caso contrário, ficará esse jogo de troca com as empresas privadas”, salientou ao destacar que é importante que as dívidas com o setor privado sejam cumpridas para a liberação de novos recursos para futuros plantios. Observou que sem capital de giro é impossível o pagamento de investimento, o que vem a estagnar o setor. Outro fator negativo apontado é a falta de logística de transporte nesta região do Mato Grosso.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink