Setor produtivo não pode ser colocado em cheque, diz presidente da Famasul
CI
Agronegócio

Setor produtivo não pode ser colocado em cheque, diz presidente da Famasul

Riedel enfatizou que se há produtores que não respeitam as medidas necessárias à proteção sanitária do Estado, esses não são representados pela Federação
Por:
"O setor produtivo de Mato Grosso do Sul não pode ser colocado em cheque por um ou outro irresponsável, que não representa uma categoria inteira", enfatizou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul) e do Conselho Deliberativo do Sebrae/MS, Eduardo Riedel, na manhã desta segunda-feira (06), em Campo Grande (MS). Riedel participou da entrega de uma frota de veículos à Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) para intensificar a fiscalização, em especial na fronteira do Estado com o Paraguai.

Referindo-se ao trânsito ilegal de animais paraguaios, Riedel enfatizou que se há produtores que não respeitam as medidas necessárias à proteção sanitária do Estado, esses não são representados pela Federação e devem ser punidos. O dirigente reconheceu a importância do aparelhamento da Iagro e da valorização do trabalho dos fiscais. “Este é um momento simbólico, mas demonstra reconhecimento de que o agronegócio, que gerou divisas de US$ 15 bilhões no ano passado, é estratégico para Mato Grosso do Sul”, ressaltou.

Na solenidade, foi oficializada parceria entre Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e Governo Estadual com a entrega de uma frota de 121 veículos à Iagro. A representante da Assembléia Legislativa do Estado, deputada Mara Caseiro, lembrou as dificuldades vivenciadas pela pecuária sul-mato-grossense com o foco de aftosa em 2005. O titular da Superintendência Federal da Agricultura (SFA), Orlando Baez, assinalou que a sanidade não é assunto a ser tratado de forma isolada. “Aftosa no Paraguai não é só no Paraguai, pois afeta a região. O desafio deve ser enfrentado conjuntamente”, avaliou.

Em seu pronunciamento, o governador André Puccinelli enfatizou que os "intrabandistas (de gado)" serão combatidos e que animal sem identificação de origem será eliminado. Puccinelli destacou a atuação da Famasul na defesa e orientação do produtor rural e fez referência à meta de Mato Grosso do Sul atingir o status de livre de aftosa sem vacinação, já obtido por Santa Catarina.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.